08 outubro 2008

Reclamar? Sim, sempre que necessário.


Já lá vão 46 dias. Tinham-me dito que, no máximo, as reparações demoravam 30 dias, mas que nem costumava ser tanto tempo.
Não só não me notificaram a dizer que o conserto estava concluído, como não respondem às minhas questões e pareço esbarrar em respostas-tipo que nunca acabam.

Eu esclareço: a 23 de Agosto deixei, na Fnac do Cascaishopping, uma câmara de vídeo para consertar. Custa-me desligar-me desta máquina, como da fotográfica, mas o certo é que o alimentador não lhe carregava a bateria e ela apenas trabalhava ligada à corrente eléctrica.
No dia 22 de Setembro, estranhando a demora, passei na loja e indaguei em que estádio estava a avaria. Apenas me reiteraram que não costumam levar mais de um mês e que, assim que o reparador os notificasse, me avisariam. Sou cliente com cartão de aderente e já vi que a coisa funciona quando, em uma ou outra encomenda, me mandaram um sms a informar que o artigo (livros) já lá se encontrava.

A 30 de Setembro liguei para o Call Center, que nem é um número gratuito, e fui informada, imaginem, que o artigo ainda se encontrava no reparador e que a situação já se arrastava há 38 dias. Como se eu não soubesse contabilizá-los…
Frisei a importância que o assunto tem para mim, até porque se aproxima o aniversário do meu filho, e ficou estabelecido que enviariam um e-mail à loja a solicitar que me contactassem com a maior brevidade.
Ontem, dia 7, liguei novamente para este Contact Center. Desta vez, a chamada foi mais demorada, o meu discurso de pleno desagrado. Mais uma vez, voltaram a contactar a loja, sendo que desta vez eu própria recebi uma cópia do e-mail enviado.
Amanhã vou lá. Com cara de poucos amigos, vou pedir o Livro de Reclamações, pois então!

Admiro-me como algumas pessoas nunca o fazem. Só este ano, já será a sexta vez que o farei.
Anteriormente, apresentei uma reclamação num Centro de Emprego, outra na Segurança Social (precedida por um sem-fim de reclamações no serviço online, que nunca parecem ter sequer sido lidas), uma nos correios e duas no Centro de Distribuição Postal da minha área de residência.
Porque o faço? Porque me parece haver cada vez maior desresponsabilização nos serviços a que temos de recorrer e porque não sou, não serei, nunca, conformista.

10 comentários:

jo ra tone disse...

Por vezes é necessário dar um murro na mesa.
Se se não conseguir atingir a mesa, tenta-se em quem estiver ao balcão. Depois reclama-se.
O que eles querem é vender.
bjo

Maria, Simplesmente disse...

Concerto?...
Primeiro querem vender.
E agora pergunto onde vão parar as reclamações?...
Penso que ficam arquivadas.
Isto está uma crise!... Felizmente até agora não tive esses problemas.
Bj
Maria.

Pitanga Doce disse...

Ai que eu fico perdida quando me fazem destas. E tem mais. O Call Center tem que ter linha livre, que aqui é o 0800.

beijinhos e boa sorte

BlueVelvet disse...

Eu acho bem que reclames, só não sei é se vale a pena.
Perdi a fé nessas coisas, mas enfim...
Beijinhos

Maria disse...

Acho que fazes muito bem reclamar. Se todos reclamássemos sempre que temos razão este país seria diferente...

Um beijo

Patti disse...

Fazes e fizeste tu muito bem. Este ano, só o fiz ainda uma vez.
Este é o país onde todos refilam, mas onde ninguém reclama. E depois dá no que dá!

AnaMar disse...

É este o caminho: do inconformismo para fazermos valer os nossos direitos. Se todos o fizéssemos, conseguiríamos mudar as coisas. EU ACREDITO!

Parabéns por ter superado a preguiça que estas questões envolvem e o tempo que nos fazem perder (e é com isso que contam , para nos demover).

Força!

Alexandre disse...

Ainda bem que tens coragem para pedir o livro de reclamações. Sei de uma pessoa que pediu o livro no centro de saúde de Odemira há um ano e pouco e teve tantos problemas até hoje que acho que nunca mais pedirá o mesmo!

Entretanto, também sei de outra pessoa que pede o livro por tudo e por nada - mas no teu caso, acho que sim, gostava de ir contigo para aprender...

Muitos beijinhos!!!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Lentamente, os portugueses começam a habituar-se a exercer o seu direito de reclamar. Pena é que muitas vezes não obtenham resposta, mas vale sempre a pena.

Catarina disse...

qd se tem razão faz muito bem reclamar.. mas só quero alertar que o serviço de mensagens dos livros nada tem a ver co o serviço pós venda. as sms sao enviadas automaticamente. esse sistema nao está 'instalado' no spv (até digo mais, só está instalado nos livros e nos discos/video). mas claro q nao ha desculpa para o atraso...

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin