11 outubro 2008

Os Amigos

OS AMIGOS
Os amigos amei
Despido de ternura
Fatigada;
Uns iam, outros vinham, e nenhum perguntava
Porque partia,
Porque ficava;
Era pouco o que tinha,
Pouco o que dava,
Mas também só queria
Partilhar a sede da alegria-
Por mais amarga.
(poema de Eugénio de Andrade)

9 comentários:

elvira carvalho disse...

Lindo este poema.
Um abraço e bom fim de semana.



À margem: Amiga, desculpe se com o meu post lhe despertei más recordações. Não era minha intensão magoar ninguém.
Um abraço

Meg disse...

Este é um poema com uma certa amargura... porque a amizade é, por vezes, uma coisa muito complicada.
Um bom fim de semana num abraço

Filoxera disse...

Querida Meg:
É o meu estado de espírito...

Alexandre disse...

Os poemas de Eugénio de Andrade são fantásticos - escolheste bem, este eu não conhecia...

Muitos beijinhos!!! Bom resto de fim-de-semana!!!!

Sophiamar disse...

Um poema lindo de um Grande da Poesia que ainda cheguei a conhecer. Pouco dado a saídas não era fácil encontrá-lo mas ainda tive esse privilégio.
Como sabes, gosto muito de poesia e aí encontro o porto de abrigo quando a borrasca promete. É por entre versos e rimas, frente ao mar, que giro os meus conflitos de alma. Dois bons amigos: o mar e a poesia.

Beijinhos

Antonio saramago disse...

Os amigos conhecem-se nas alturas complicadas e não quando são de rosas!

Carminda Pinho disse...

Sabes que também eu não conhecia este poema?!
Que bonito e, que verdadeiro.
Sinto-me assim tantas vezes, minha querida...

Beijos e um Xi-coração grande.

Vieira Calado disse...

Os amigos todos nós amamos!
Cumprimentos

Alexandre disse...

Uma boa semana... cheia de amiguinhos!!!

Muitos beijinhos!!!

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin