20 junho 2008

As mãos

(desenho do meu filho)


NÓDOA

Nunca vi mãos
Como as tuas mãos
Desafiam poderes
E acrescentamentos.
São troncos de árvores
Milagrosos.
Desafiam o tempo, o gasto, o fim.
Estão prontas para apertar
Com força.
São dedos que acumulam
Séculos de sangue e nódoa.
(Poema de Raúl de Carvalho).

7 comentários:

Girafa cor de rosa disse...

Bonito o desenho e o texto que o acompanha! Que orgulho ser mãe de uma criança com mãos tão belas! Bjs e bom fim de semana.

jo ra tone disse...

Que as suas mãos sejam fortes,e
se por acaso venha a ter nódoa,...

nunca...nunca se manchem.
Bonito trabalho manual
Bjo

tulipa disse...

Olá
Lamento ter perdido o dia mais longo do ano, aqui enfiada em casa, a trabalhar...
sem companhia, para onde eu iria?
É triste.

O que eu tenho para oferecer é uma visita virtual aos glaciares, se estiveres interessada, vem comigo.

Ou então, uma sugestão bem mais perto: que tal uma visita à Rota das Tabernas?
Huuummmmm, que cheirinho a jaquinzinhos fritos.

Bom domingo.

Abracinhos.

f@ disse...

Belas que ficaram as mãos e poema mto bonito... que as mãos são mesmo troncos e raízes do nosso ser ... até do nosso imaginário...
bj das nuvens

Sophiamar disse...

Umas mãos desenhadas por quem ainda vê o mundo com essas cores bonitas. Bonito desenho. Assim consiga o Vasco vê-lo pela sua vida fora. Neste momento o cinzento está a perturbar as nossas vidas.
Quanto ao poema, bela escolha!

Mil beijinhos, minha querida.

Anónimo disse...

venha participar em www.luso-poemas.net


vai adorar e seria uma honra a sua presença:)

BlueVelvet disse...

Lindas mãos as do terroristinha.
Que nunca se manchem!
beijinhos e boa semana

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin