02 outubro 2011


Tenho palavras escondidas, que adivinhas, porque não as sei contar,
Tenho um sorriso que te espreita, de longe, à espera do teu olhar.
Tenho um rio que corre, incansável, em maré que enche, devagar,
Tenho um abraço alojado no peito que não se cansa de te esperar.

12 comentários:

Gisa disse...

Um dia tudo há de se encontrar.
Um grande bj

BRANCAMAR disse...

Muito lindo! Tanto amor!

Beijinhos

Branca

elvira carvalho disse...

E eu tenho pena de não conseguir fazer um comentário à altura deste poema.
Um abraço e uma boa semana

Luis Eme disse...

tanta coisa boa que tens.

beijinho Filoxera

Fernando Santos (Chana) disse...

Muito belo...Espectacular....
Cumprimentos

Maria João disse...

Desculpa minha amiga, às vezes as palavras que leio pedem-me que as reinvente. Foi isso que aconteceu, agora mesmo com o teu poema.
E que bom que é quando as palavras que leio me fazem sentir isto.

Com um beijinho meu, aqui vai...

Tenho palavras escondidas
Num sorriso que te espreita.
E junto à minha maré,
Corre um rio
Com um abraço teu alojado.

BRANCAMAR disse...

E eu tenho vontade de te vir aqui trazer mais um abraço e votos de um bom feriado e boa semana.

Beijos

Maria disse...

Um entre nós que me é familiar.
O abraço aí e eu aqui tão perto...

Beijos.
(e um abraço)

albana disse...

linda, esta forma de amar!

bjinho

© Piedade Araújo Sol disse...

tanta ternura, num poema que apetece declamar...

beij

Fê-blue bird disse...

Tudo tem o seu tempo minha amiga.

beijinhos

Sofá Amarelo disse...

'Saber esperar mais que uma virtude é uma filosofia de vida'... esta é a minha máxima e desde que a inventei e adoptei não me tenho dado mal.

Muitos beijinhossssss

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin