31 outubro 2011

Poesia depois de ti


Um dia fomos nós a liberdade
Comemorada com todos os sentidos,
Revolução de ternura e de vontade,
Fantasia de amantes renascidos.

Um dia fomos amor de imersão
Num banho à luz de vela desenhado
Água morna, corpos quentes e paixão
Na penumbra de um fogo embriagado

Hoje, tu não estás e já nem sei
Se este amor foi um tempo verdadeiro,
Se foi apenas um poema que escrevi.

Terás sido o amante que inventei?
Pergunto-me - num temor verdadeiro -
Se haverá poesia depois de ti.

15 comentários:

Rogério Pereira disse...

Entre o amante verdadeiro
e o inventado
Um soneto escrito
que se interroga...

Haverá sempre poesia
acaba de me dar disso
a mais bela prova

elvira carvalho disse...

Os amantes nascem vivem e morrem. A poesia ficará para sempre. É imortal.
Um abraço e uma boa semana

Maria disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria disse...

Às vezes a vida coloca à nossa frente caminhos diversos para fazermos a escolha. Nem sempre escolhemos o mais justo, se é que posso usar esta palavra. O que importa é que, no momento, escolhemos o que quisemos.
Depois, a vida encarrega-se de nos mostrar outros caminhos. E nós voltamos a escolher. E é sempre assim. À escolha que fazemos chamo 'viver'.
E é claro que, se quiseres, haverá sempre poesia...

Beijos

Vieira Calado disse...

Um belo poema que muito apreciei!

Beijinho para si!

São disse...

É bom que a poesia resista a tudo, sabes?

Um bom resto de feriado em companhia das tuas crianças

© Piedade Araújo Sol disse...

um belíssimo soneto que gostei muito de ler.

e depois de depois haverá sempre poesia, ela não morre nunca para quem dela se apaixonou um dia.

obrigada!

um beij

tulipa disse...

Muito boa a poesia.
Obrigada pela partilha.

Há muito tempo que não desafio os meus amigos a descobrir um enigma; hoje decidi fazê-lo e dou aqui muitas ajudas, acho que não é difícil...
Um sábado radiante, cheio de sol
e...vem ver se consegues descobrir!
Beijokinhas

BRANCAMAR disse...

Amiga Filoxera,

Há sempre poesia.
Que belísimo soneto aqui desenhaste!

Tudo que foi bom fica na alma e faz-nos crescer e tu própria és poesia.

Beijos

Luis Eme disse...

pelos vistos, haverá sempre poesia, com amor.:)

beijinho Filoxera

Maria João disse...

Ser liberdade, comemorada com todos os sentidos é, por si só, o ínicio de um poema eterno.

Um beijinho grande, amiga

São disse...

Venho dizer-te que conto com a alegria da tua presença no "são" neste fim de semana.

Abraços para vós.

Nilson Barcelli disse...

A poesia está no teu sangue...
Excelente poema. Continuas a encantar-me com as tuas palavras poéticas.
Querida amiga, tem um bom fim de semana.
Beijos.

© Piedade Araújo Sol disse...

Filó

hoje só venho deixar o meu sorriso e um

beij

São disse...

Obrigada pelas tuas gentis palavras no "são"

Boa semaana em óptima companhia.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin