09 dezembro 2007

Hoje, jantei em frente à tv. Jantar não é o termo certo; petisquei. Um copo de vinho tinto a acompanhar umas tostas com queijo. Tinha uns pedacinhos de queijo da Serra e de Brie e fui "debicando".
Deixei-me ficar, ali no sofá, engolindo indolentemente enquanto prestava uma atenção relativa a um documentário que se desviou dos mergulhos dos pinguins para a hibernação dos ursos sem que eu me tenha apercebido da mudança.
Curioso! Tantos anos sem ligar à tv e agora isto! Lembro-me que, quando os miúdos eram pequenos, eu ansiava por um tempinho para mim; para ler ou para não fazer nada... Os dias escoavam-se sem sequer, às vezes, permitir momentos para emagrecer a lista de assuntos pendentes. Descansar era sempre verbo para conjugar no futuro.
E agora as horas arrasatam-se. Faço qualquer coisa para fugir à sensação de casa vazia, mesmo que tenha de ligar a tv ou passar horas ao telefone.
Na agência, o ritmo é demasiado corrrido, pelo que, quando chego a casa, me entrego ao desleixo e à preguiça, se para aí estiver virada.
Mas, quando chegam os fins-de-semana, a modorra acaba por pesar e, frequentemente, deixo-me entupir pelo vazio.
Compro os jornais, leio, dormito, vejo tv e, sempre que o telefonte toca, troço para que não seja o Manel. De há tempos para cá, deu em multiplicar os pretextos para reencontros que não me apetecem.
Tenho de gastar um bocadinho de conversa de chacha quando me cruzo com algum vizinho nas escadas mas, quando entro em casa, sinto-me uma refugiada a salvo da curiosidade alheia.
Mergulho em prazeres adiados demasiado tempo e redescubro o encanto de um bom romance, o suspense de um filme ou os planos de um encontro com esta ou aquela amizade antiga. De vez em quando tenho também que voltar a um passado juvenil, quando a minha mãe resolve atormentar-me, ao telefone, com as suas angústias e a exigência de uma visita que é tão mais prorrogada quanto o grau de censura na sua voz...
Bem, mas hoje não vou escrever mais. Quero procurar o dia de amanhã; acordar bem-disposta e sem o ar de quem foi atropelada por um camião. É o dia do almoço com os ex-colegas da faculdade. Um dos dias mais aguardados do ano...

18 comentários:

Blue Velvet disse...

É sempre bom ver um post novo neste cantinho, embora gostasse de ler um mais animadito.
Amiga, o ano que aí vem vai trazer coisas novas, e alguma boa há-de estar reservada para ti, porque bem mereces.
Um bom almoço amanhã, e muitos beijinhos

Sei que existes disse...

Espero que tenha sido uma bom almoço!
Beijocas grandes

Maria disse...

Olá a.filoxera!... Como vai a disposição? Pão, queijo, e um copito de vinho, rico banquete!...
Pão e queijo eu ainda alinhava, vinho é que não, não gosto de alcoól. Dizem que faz bem ao coração, mas o meu não suporta.
Agora um queijito ia mesmo.
Vou deitar-me mas dei aqui um salto, amanhã tenho um dia de maluqueira, se maluqueira é tentar falar com o meu médico, embora ele seja uma pessoa agradável.
Durma bem e até à próxima.
Bj

Carminda Pinho disse...

Há dias assim...:)
Gostei muito de te ler.
Um bom almoço e, diverte-te miúda!
Tu mereces.

Beijinhos

a.filoxera disse...

Hello...amigas...: Como é que caem as quatro nessa de se tratar de um relato real? Então eu estaria a falar de mim dizendo "lembro-me que quando os miúdos eram pequenos...", etc? Para não falar de outros aspectos que não têm nada a ver comigo.
Não se esqueçam que, embora às vezes escreva sobre factos reais da minha vida, este é um blog onde surge o que de mais espontâneo eu tiver para vos transmitir, sejam episódios da minha vida, considerações sobre o país que temos, enaltecimento dos meus filhos ou puro exercício literário.

Pena disse...

É agradável ler o quotidiano da sua vida.
Escreve sentimentos, emoções, instantes, de uma forma que a caracterizam e provocam-lhe bem estar.
E. assim é a forma correcta do seu sentir puro e harmonia do seu lindo Ser e Estar.
Acima de tudo a sinceridade e a autenticidade da magia do sonho de viver e encarar a realidade livre de si.
Perfeita autonomia de valores e princípios que coabitam lado a lado consigo.
Gosto de a visitar e ler o que deliciosa e talentosamente escreve.
Beijinhos amigos de sinceridade

pena

Blue Velvet disse...

Ora muito bem!
A menina anda a pregar partidas às amigas...
Por acaso, aquela dos filhos pequenos não me soou bem, mas...
O que interessa é que não era um estado de alma, mas um exercício literário.
Beijinhos, sua marota

Carminda Pinho disse...

Pronto, percebi que fui na "onda".
Houve duas coisas sómente que me intrigaram. A referências de quando os filhos eram pequenos (mas a verdade é que já foram mais pequenos) e, a de dizeres que que "na agência o ritmo é demasiado corrido". A verdade é que também te poderia ter surgido um emprego, assim de repente. Lol

Foi um exercío literário.
Tás no bom caminho, continua. :)

Beijinhos

Maria disse...

Obrigada a sua visita ao meu fotoblog e obrigada o seu comentário.
Achei graça o seu comentário sobre o seu jantar.
Normal para mim... jantar frente à TV, parece-me até que é a única vez que durante o tempo que estou acordada vejo TV em que aproveito a ves o Telejornal.
Os miudos já foram mais pequenos do que hoje são, ou não?...
Yudo natural, só não será para quem a conheça muitíssimo bem. Eu por exemplo conheço-a, mas não posso dizer conheço-a bem. Não é?
Beijos amiga e boa noite.

amigona avó e a neta princesa disse...

Eh! Eh! Gostei!
Mas olha que ia já na mesma onda a oferecer-te o meu ombro! Beijinhos querida...

Dilean de Bragança disse...

Bom dia amiga...
Chego até vc através de nosso amigo em comum Pena.
Me peguei fixamente lendo seus relatos e me identificando tanto, com tantas coisas.
Acho mesmo que nessa vida as vivências depois de algum tempo são muito parecidas, só mudam os cenários, os personagens tomam outra forma, enfim, é a vida e ela tem que ser bonita mesmo com td que nos atropela...
Que sua vida seja iluminado e seus dias sempre com o sol da esperança.
Fique com Deus, eu vou com Ele!
Meu carinho e afeto.
Bjus no coração.

JOSÉ NEVES disse...

Excelente o descrever deste pedaçinho da tua vida.

Espero que o almoço tenha sido 5 *****.

Abraço.

RASTINOV disse...

Parabéns pela ementa.... "que faz crescer água na boca". Pela escrita não é um "humilde escrevinhador" a pessoa indicada para tecer elogios.

Sophiamar disse...

Escreves muito bem, doce amiga. Depois, temperas tudo com um "molho" adocicado e pões a temperatura habitual em cada imagem que nos transmites.
Deixo-te beijinhos mil... e

continua a escrever.

Bárbara Cecília disse...

Muito ler-te. Estou a tempo sem vir cá, sem passear pelo canto das amigas! Também estou passando por momentos de solidão e de querer cuidar-me bem! Fique bem... sinta-se! Beijos!

Sei que existes disse...

Hé!Hé!Hé!Fui mesmo enganada!!!
Tenho de prestar mais atenção aos teus posts...
Beijocas grandes

Jasmim disse...

A minha televisão avariou e acreditas que não tenho vontade de a mandar arrnajar?
Aproveita os bons momentos e procura fazer dos outros uma aprendizagem...

Anónimo disse...

Esta nunca podias ser tu, não aprecias vinho muito menos tv e trabalho infelizmente ainda não apareceu.
De qualquer modo mais um belo texto, que espelha cada vez mais a nossa sociedada, feita de solidão.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin