11 maio 2010

Se eu pudesse embalar-te, esconder-te do mundo

Cada dia seria um tempo secreto

Onde te descobriria, terno vagabundo

Num espaço que inventamos, tão longe e tão perto



Se eu pudesse parar as horas de amor

E sentir-te voar enquanto estremeço

Ficaria para sempre nesse doce torpor

Da magia que é nossa e que nunca esqueço



Se eu pudesse, querido, contigo adormecer

Em cada noite quente de amantes esgotados

Faria da tua pele o meu amanhecer

Buscando abrigo nesses braços suados



Se eu pudesse, amor, viver-te agora

Ficaria para sempre nesse renascer

Em que cada dia é menor que uma hora

E onde, completa, poderia morrer.

10 comentários:

Maria disse...

Estou a gostar muito desta tua vertente poética...
(hoje não é 'entre blogues'...)

Beijos.

Vera disse...

:-)
apenas!

bettips disse...

Encontrar marcas
no campo do amor - e ver poesia!
Libertar a asa e o pensamento - e ser mulher!
Bjs

São disse...

Sinceramente, acho que deves continuar a explorar a tua vertente poética, sabes?

Uma noite serena para ti e para as tuas crianças.

IMaria disse...

Uma poesia interessante.

jinhos meus



isabel

Pena disse...

Estimada e Simpática Amiga:
Um belo poema de amor. Delicioso a que ninguém poderá ficar indiferente ou ignorar pela ternura que sente.
"...Se eu pudesse, amor, viver-te agora
Ficaria para sempre nesse renascer
Em que cada dia é menor que uma hora
E onde, completa, poderia morrer..."

É linda. Adorei, bem como, adorei a sua sensível visita de sonho, repleta de amabilidade.
Bem-Haja!
Beijinhos de pura amizade e respeito pelo que maravilhosa e encantadoramente faz.
Possui um sublime talento poético.
Sempre a admirá-la

pena

Bem-Haja, pela pureza e beleza.
MUITO OBRIGADO pela partilha extraordinária da sua forma de sentir que é excelente.

O Profeta disse...

Hoje ofereci as cores da minha paleta
A uma amiga na sua dor
Ouvi seu choro ao meu ouvido
No fatalismo do desamor

Hoje o sono acordou-me
A nostalgia agitou suas asas cinzentas
Esqueci no acordar o ultimo abraço
E contei as nuvens que eram tantas


Doce beijo

Anónimo disse...

Limito-me a sorrir...
Limito-me a reler...
Limito-me...
Tens razão!

Maria, Simplesmente disse...

Pois é Filoxera!
Mas o tempo com a sua baixa pressão provoca-me uma baixa depressão... quem tem a baixa pressão é o tempo...!
Por vezes realmente também nos envia uma depressão atemosférica.
Felizmente alta pressão há muito que não tenho.

Pressão... depressão, palavras diferentes... significados diferentes...! AhAhAh
Bj
Maria

Márcia Parente disse...

Parabéns! Muito bonito o seu blog e sua escrita!

Sucesso no seu desenvolvimento...

Márcia
Brasil!

Quando puder dá uma olhadinha no meu blog: http://viajapensamentos.blogspot.com

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin