27 julho 2009

Escrito a Quente pela Maria Mamede

(foto da minha amiga Elisabete)
Numa das poucas rondas que ultimamente tenho empreendido pela blogosfera, deparei com uma poema da Maria Mamede cujo título é, nem mais nem menos, que o nome do meu blogue.
Porque a Maria Mamede foi a primeira amizade que criei no blogobairro e, sobretudo, porque este é, como todos os seus poemas, um bom momento de leitura, aqui o deixo para que o apreciem (espero que como eu o apreciei).

ESCRITO A QUENTE
Escrito a quente
nas veias
nas têmporas
nos pulsos
escrito a quente
corpo e alma
e o tormento da sede...
assim me sinto
e te sinto
na lonjura da saudade!...


Maria Mamede

4 comentários:

São disse...

A foto da ponte está muito bonita!

Quanto ao poema também o achei bom e também reparei na coincidência.


Beijos, linda.

Pedro Branco disse...

A escrita é sempre a quente. Pelo menos a minha...

Beijo.

Si disse...

É no que dá, escrever o que se sente. As temperaturas sobem com o calor da alma...

Isamar disse...

Tê-la-ás inspirado? É natural que possa ter acontecido pois a tua escrita emana calor, vida, amizade, solidariedade...

Beijinhos

Bem-hajas!

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin