01 fevereiro 2009

(imagem retirada da net)

O CHÃO É CAMA
O chão é cama para o amor urgente
Amor que não espera ir para a cama.
Sobre tapete ou duro piso a gente
Compõe de corpo e corpo a húmida trama-
E para descansar do amor, vamos à cama.


(Carlos Drummond de Andrade)

8 comentários:

t i a g o . disse...

Um poema que tem o seu ar de engraçado. :)

Beijinhos e boa semana
Tiago

BlueVelvet disse...

Adoro este poema.
Pu-lo há uns meses no meu blog.
Jinhos

Maria disse...

Exactamente!
Quando o amor é urgente qualquer sítio é cama...
Pois!

Beijos

Si disse...

Que balanço este o do ritmo do poema, bem ao jeito dos que eu gosto.
Amanhã passe lá por casa, que vai ter um para ler, só que é um 'nadinha' mais comprido....rrsrss

Sofá Amarelo disse...

O amor não tem hora nem local... quando tem é porque não é amor...

São disse...

Conhecia o autor, não o poema: agradou-me .
Feliz semana para ti e para os teus.

Pitanga Doce disse...

Amo tua voz e tua cor
E teu jeito de fazer amor
Revirando os olhos e o tapete
Suspirando em falsete
Coisas que eu nem sei contar
...


Ah, um certo tapete!!!!

Anónimo disse...

Tão verdadeiro

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin