20 agosto 2007

O meu pequeno poeta brilhante

Eu, para o meu filho, quando ele se saíu com mais uma das dezenas de patetices diárias:
- Sabes que mais? És um chato!
O meu filho para mim, com um sorriso malandro:
- E tu és uma luz... que brilha!
Pedi-lhe, com ar surpreso, que repetisse o que acabara de dizer. Ele, meio espantado, repetiu, com aquele ar de quem finge vergonha:
- És uma luz, que brilha! (dito com o tom infantil dos quatro anos que ainda não sabem pronunciar os "r").
Eureka! A minha cara encheu-se num sorriso aberto, como só os apaixonados ou as mães ou pais babados conseguem ostentar.
Qual desemprego, qual mágoa, qual abatimento, qual preocupação... Xô!

6 comentários:

maneluska disse...

Pois... já tinha escrito mas não gravou...

PRIMA!

Eis o dia ideal para estrear este Blog! Acredita q estive mesmo à espera do 21 de Agosto!

Já tive oportunidade de ler alguns dos teus textos, não todos porque esta vida atarefada às vezes não permite... e tu como sabes!

Para já os meus Parabéns pelo blog e por essa vontade expressa de pôr nas palavras o que vais sentindo e vivendo...

E depois muitos Parabéns por mais essa Primavera que fazes hoje e que merece ser lembrada! A Vida tem de ser motivo de Festa!

Um beijo enorme directamente do PORTO e um abraço forte!

Feliz Aniversário!!!

Manela

De Amor e de Terra disse...

Às vezes, o nosso coração anda prenhe de silêncios ou de ânsias d partida...
O seu Amiga, sei que de recordações será cheio, uma vez que hoje é, tanto quanto li, dia de Aniversário...

Daí a "morriña"!!!

Beijos Maria Faia e que possa contar MUITOS!!!
PARABéns (pelo aniversário e pela escrita)

Maria Mamede

Maria Mamede

a.filoxera disse...

Obrigada à Manela e à Maria Mamede pelos parabéns que me enviaram, tanto os que se referem ao meu aniversário como, e sobretudo, porque me elogiaram a escrita...
Beijos, voltem sempre.

SOBE E DESCE disse...

Era bom que o mundo fosse como é visto pelos olhos de algumas crianças.
Dentro delas a poesia mora e é destruída pelos adultos. Já viu que os adultos, que tanto aprenderiam com elas se as ouvissem, numa luta constante querem ser os professores delas?...
Muitas vezes, a maior parte das vezes professores no mau sentido.
Bj

Maria Jose disse...

É mesmo um poeta, o teu pequenote ! A quem é que ele sairá, hum ?!

Anónimo disse...

Tenho o prazer de conhecer pessoalmente o "pequeno poeta" e tendo em conta os genes da mãe só poderia ser assim!

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin