16 setembro 2011

Zona de conforto? Acho isso a maior das secas!


Há tempos, uma amiga referia-se à sua zona de conforto, expressão que se tornou frequente nos últimos tempos.
Começo já por dizer que me deixam desconfortável, estas palavras. Pelo que, quem quiser, pode continuar a ler este post, quer se identifique ou não com esta atitude, mas desde já sabendo que não estou para meias medidas (podem botar abaixo à vontade, como sempre foi uso neste espaço).
Ora bem, se a vida não é confortável, que história vem a ser essa de zona de conforto, alguém me explica?
A vida é feita de decisões, escolhas, fracassos, sucessos, altos e baixos. Avanço para cada momento de peito aberto, ciente da responsabilidade que tenho sobre os meus passos.
Avanço, arrisco, nem sempre corre bem, mas… é a vida.
Não me sentiria viva se me tivesse calado quando outros se calaram. Não me sentiria inteira se não tivesse ousado. Não me sentiria mulher se não tivesse amado. Não me sentiria consciente se não tivesse arriscado. Não me sentiria bem se não me tivesse empenhado.
Quando vivo, faço-o por inteiro. Acerto. Erro. Alegro. Magoo. Congratulo-me. Arrependo-me.
Mas não por não ter vivido.
Disse a essa amiga, a quente, como normalmente faço, “Zona de conforto? Acho isso a maior das secas!”
Continuo a dizê-lo, a frio:
A zona de conforto deve ser um desconforto e pêras...
Vida sem risco?
Lobotomias como auto-defesa?
Grande desconforto. Grande tédio. E não sei se resulta...”
 Eu sou de arriscar. E sabem? Se morresse agora, sentia que tinha valido a pena...

13 comentários:

Vieira Calado disse...

Assim é que é!

Abaixo "o politicamente correcto"!

Bjsss

elvira carvalho disse...

Minha avó diria. "Quem fala assim não é gago"

No seu texto revejo-me há anos atrás.
Infelizmente quando a idade pesa começa-se mesmo que inconscientemente à procura das tais zonas de conforto.
Um abraço e bom fim de semana

Luis Eme disse...

também estou distante do conforto.

isso soa-me a monotonia, resguardo, ausência.

beijinho Filoxera

Alex disse...

Acho que não percebeste bem (nem de perto) a minha zona de conforto.

Quando se vai ao fundo do poço, ao fundo do fundo, é preciso entrar numa zona de conforto - macia, suave, com muitos amortecedores e muitas prote~cções anti-choque, e vir ao de cimo, à velocidade que a vida ditar.

São disse...

Mas o que é, realmente, uma "zona de conforto"?!|

Eu estou mais na tua linha.

Um abraço

Braulio Pereira disse...

eu tenho para dizer
vai sempre de cabeça erguida
cada dia há um amanhecer
a maior prenda de conforto é a vida

feliz semana

beijos!!

Rogério Pereira disse...

Acho isso a maior das secas
Morrer?
Quem fala em morrer?
A transgressão
é condição
para a longevidade...

De Amor e de Terra disse...

Minha querida menina, como diria um amigo meu..."estou contigo e não abro!"
Bjs.
M.M.

Maria disse...

Caracoles...
Acho que sempre andei na zona de desconforto, hehehehe.....

Beijos.

albana disse...

zona de conforto?!? só o sofá na casa dos avós em frente á lareira nas noites de Natal...


Bjinho

Jony River disse...

Pegando numa das modas atuais, Gosto!

Sofá Amarelo disse...

Ainda ontem o 1º Ministro disse que se sentia desconfortável com a situação na Madeira...

Madalena disse...

É moda!!!! Tem dias!!!!!

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin