29 abril 2011

Carta de... desamor

Adeus! Conseguiste perder-me.
Segue a tua vida, sem olhares para trás, que eu sigo a minha. Só há uma via: em frente.
E o meu “em frente” será com alguém bem mais completo e maduro que tu.

Começaste a perder-me assim que percebi que não podia beijar-te em plena rua, tu sempre contido, numa discrição própria de quem não ama. Perdeste mais um pouco quando os meus olhares eram só para ti e os teus eram… para todas. Continuaste a perder onde devia ter começado o prazer.

Prosseguiste o percurso de perda na única viagem que fizemos. Viagem que tu não viveste, sempre amorfo e ensonado, vai-tu-que-eu-fico-no-hotel, como se tivesses vivido ali sempre.

E foste por aí fora, perdendo-me infinitamente, à medida que conhecia a tua dependência em tudo-e-mais-alguma-coisa, criança mimada que se recusa a crescer. Pior: sem o espírito de descoberta infantil que te traria pontos a favor, em matéria de intimidade. Matéria que encaras com uma falta de imaginação que o tempo não superou, como um manual que obedece a fórmulas inquebráveis. Como se o amor fosse uma ciência exacta…

Perdeste-me até nada restar daquele encanto inicial, que me prendeu pela simpatia, pelo sorriso, pelas palavras certas no momento apetecido. Tudo podre, ao fim de uns quantos meses…

Contigo, aprendi que não vale quando não há improviso, que não prende quando não nos faz libertarmo-nos das convenções, que não é especial se não nos faz sentir em pleno voo de descoberta.

Por tudo isto: esquece-me. Que eu comecei a esquecer-te assim que me apercebi do teu mundo limitado, da tua insegurança trajada de conquistador, da tua conversa que se esgota rapidamente…

Agora sou co-protagonista dum amor inteiro. Segue a tua vida. Que eu dei em estudar ciências instintivas…

8 comentários:

Pitanga Doce disse...

Há pessoas que têm tudo nas mãos e não sabem aproveitar. A presença, o riso, a possibilidade de uma viagem juntinhos, a descoberta do que é bom para cada um, a certeza de que juntos a vida é o próprio arco-íris. Há pessoas assim.

E há quem saiba de tudo isso e não possa aproveitar...com esse mar no meio.

Beijos menina. Há de vir quem saiba e aproveite.

Luis Eme disse...

apesar de haver algum drama no "caso", o texto não deixa de ser divertido.

a vida é feita de perdas e ganhos.

beijinho Filoxera

São disse...

Fazemos parte do mesmo clã, minha amiga!

E , parece, tivemos experiência semelhante...que nos levou a igual conclusão, rrss

Por isso, um apertado e fraterno abraço te deixo.

Drika disse...

Olá... forte seu texto e bem verdadeiro pois muitas pessoas se enveredam por caminhos assim... triste quando não sabem recriar o amor.

Bj no coração!

Luma Rosa disse...

Soube sair deste relacionamento em tempo! Uma chatura esses homens acomodados! Boa sorte no próximo!! Beijus,

momo disse...

tus cartas de desamor están tan bien redactadas...como tood en esta orilla, y la leo una y otra vez...feliz domingo..y beijossss

Jony River disse...

E quem fala assim não é gaga!!!
Fecho de capitulo!
Muito bem!!
Move forward!!!

Maria disse...

:)))))

Beijo.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin