27 março 2011

Já não me movo por palavras.
Tinhas razão. As palavras têm o sentido que lhes quisermos dar.
Cansei-me das encruzilhadas aonde elas me conduziam. Entroncamentos onde, por vezes, me parecia vislumbrar a sombra de outro alguém, à procura do mesmo trilho.
É tempo de um percurso novo, num sentido totalmente diferente, movido a gestos.
Arrojado. Destemido. Vertical.
Pode não ir dar ao local pretendido, mas será, certamente, uma nova experiência.
Quero um horizonte mais alargado, um matraquear de lembranças cúmplices, feitas de instantes sorridentes, que não se arrumem nunca, sempre prontas para novos improvisos.

6 comentários:

Hugo Nofx disse...

Gosto muito do desenho do seu filho e calculo que retrate bem o original. Se você é verde, é, de certeza, boa pessoa.
Também gosto dos textos que por aqui andam.
(espero que o seu filho continue a desenhar muito, eu gosto do estilo).
abraço.

Natalia disse...

Eu tambem ....
un beso de domingo

Maria disse...

'É tempo de um percurso novo.' Ou de um novo percurso?
:)))

Beijos

Maria disse...

Gosto de árvores. E gosto desta foto...
(também gosto de troncos, daqueles 'defeituosos' e tortos...)

;)

Nilson Barcelli disse...

As palavras ajudam, mas muitas vezes não bastam e até enganam.
Por isso, os gestos são sempre mais sólidos.
Gostei do teu texto. Uma excelente reflexão.
Beijos e boa semana.

Sofá Amarelo disse...

Os gestos - mais que as palavras - movem-se no sentido de novos horizontes e de novos improvisos...

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin