14 agosto 2010

Deixa-te ficar assim
Mensageiro de sonhos que, acordada, me embala
Deixa que a tua boca sele a minha
Num beijo doce que reconforta e cala

Deixa-te ficar em mim
Cavaleiro de paz que viaja desnorteado
Deixa que a rota se conclua hoje
Num leito de amor onde te deitas, desarmado

Deixa-te ficar até ao fim
Marinheiro que vive em demanda constante
Deixa que a ternura se transforme em porto
E acolha nos seus braços esse destino errante.

8 comentários:

Maria disse...

Desfruta desse mar marinheiro o mais possível. Até ao fim...

Beijos.

Maria disse...

Parabéns poetisa, estou a gostar dessa nova faceta.
Bj

Chousa da Alcandra disse...

Deste xeito que o dis e coa voz tan sensual que imaxino...quen non quería ser un Cavaleiro Mensaxeiro e Mariñeiro para recalar neses brazos??.

Beijo

Vieira Calado disse...

Bem bonito

este seu poema!

Saudações minhas.

Bjs

Braulio Pereira disse...

no mar de desejos
na meresia da tua boca
delicia dos teus beijos
tanto calor me sufoca


beijos salgados!!!

lindo teu poema
andas inspirada!!

Isa disse...

Boas férias!!!

Pena disse...

Linda e Simpática Amiga:
Efectuou um extraordinário e puro poema de amor.
Peço desculpa por só agora responder à sua simpatia.
Encanta e deslumbra.
Parabéns.
Beijinhos amigos de um respeito acolhedor e de excelência à sua magnífica forma de versejar.
Sempre a admirá-la

pena

Bem-Haja, linda amiga.
É perfeita.
MUITO OBRIGADO!

Sofá Amarelo disse...

mensageiros de sonhos, cavaleiros de paz ou marinheiros de portos errantes, todos eles fazem parte de um mundo que construímos em constantes demandas...

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin