31 outubro 2010

Mordendo a lua

Escrevo e apago. Crio e destruo.

Estou nula de palavras e quase amuo.

Não me agrada o que sai desta névoa de mim.

Queria abrir o coração, mas fico assim…

No céu, a Lua cheia que me incita

- Essa mesma Lua que me grita -

“Deixa-te de mágoas, goza a liberdade!”

E eu, estúpida, a afundar-me em saudade.

Estivesses tu aqui, comigo, mana minha

E outra seria a história desta ladainha

Assobiando juntas mais que o vento,

A conversa voando nas asas do sentimento,

De luz apagada, assomávamos à janela

Espreitando a vida que existe, paralela

À que cá dentro nos atormenta por vezes

Na nostalgia típica dos portugueses.

Mas tu não estás, e eu quedo-me, escutando

Os acordes de piano que se vão libertando

Do cd que me embala a alma vazia, nua

Lembrando a noite em que mordemos a Lua.

(nota: título e foto da autoria de uma amiga)

9 comentários:

Chousa da Alcandra disse...

O primeiro pasiño é recoñecer a necesidade de querer superar aquela nostalxia da que falas.
Claro que con esa música...non sei eu se o corpo che pedirá mellor ficar caladiña e mirando a vida paralela...

Beijos coa morrinha propia dos galegos

Pena disse...

Admirável Amiga Importante:
"...Na nostalgia típica dos portugueses.
Mas tu não estás, e eu quedo-me, escutando
Os acordes de piano que se vão libertando
Do cd que me embala a alma vazia, nua
Lembrando a noite em que mordemos a Lua..."

Sublime. Uma interiorização perfeita e fabulosa. Sentimentos e emoções que perduram.
Parabéns.
Sabe porque razão lhe chamo importante?
Porque é uma das sobreviventes da Blogosfera quando criei o meu blogue.
OLhe, poucos há mais.
Sinto saudade. Uma enorme saudade deles e delas.
Que farão na vida?
Onde estão?
Estarão bem?
Só VOCÊ, eu e, um ou dois mais, restam, sabia?
Beijinhos mil ao seu encanto.
Com respeito e a maior estima e admiração pelo que concebe de beleza.

pena

Bem-Haja, preciosa amiga.
Fantástica.
Adorei.

AFRICA EM POESIA disse...

Também escrevo e apago
apago e escrevo...
espero sempre mais...
agradeço a visita

deixo apenas o verde


COR VERDE



Cor verde
Verde dos pinhais
E dos abetos
Que alegram
Os meus olhos...

----------

Olhos-os e vejo
Oa pássaros que chilreiam...
Que voam...
Que vivem plenamente...
A sua liberdade...

----------

E olho...
Fecho os olhos...
E sinto... que também eu...
Se fosse ave...

----------

Conseguiria ser...
Totalmente livre...


LILI LARANJO (Ninguemé totalmente livre...)

Carlos Albuquerque disse...

Tenho notado que aqui se cria mais do que se destrói, se escreve mais do que se apaga...!
Hoje foi descoberta uma Lua Cheia que, sábia, diz "goza a Liberdade"!
Bravo!
Quando nos encontramos com a poesia, ou ela connosco,é porque se abrem as portas da Liberdade.
Entre, sem medo, "assobie mais do que o vento"!. Morda a Lua!
Gostei de a ler.
Beijinhos

Isa disse...

É só para deixar um beijinho

São disse...

Linda, vai pensando em publicar um livro!

Abraços.

Braulio Pereira disse...

olá querida

léva-me ao céu
no teu luar.
anjo meu
quero beijar.


beijo meu coraçâo!!

Sofá Amarelo disse...

Lua confidente que nos ilumina nas noites dos dias em que os acordes mais não são que assobios nulos de palavras e nas conversas que voam nas asas dos pensamentos e dos sentimento...

De Amor e de Terra disse...

Embora com atraso venho dizer que gostei, MUITO...por isso, parabéns às duas.
A ti Amiga, obrigada pela partilha!

Bjs.
M.M.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin