16 outubro 2010

Sempre que ali passava, sentia o mesmo apelo premente.
As pontes haviam sido objecto de admiração ao longo da sua vida. Umas mais belas, outras apenas passagens sólidas sem beleza aparente, umas seguramente robustas, outras de aspecto mais delicado mas particularmente convidativo.
Aquela era uma ponte sóbria, bonita, inspiradora.
Nesse dia, parou ali. Não se limitou á observação deleitada, tendo-se aventurado a atravessá-la a pé. Fê-lo na harmonia de quem cumpre o seu propósito interior.
Avançou sentindo cada passo, da mesma forma que sentia cada inspiração. Interiorizando a paisagem que se tornava parte de si, como o ar que lhe oxigenava os pulmões.
De olhar estendido por todo o seu redor, percorreu os últimos metros que a separavam da outra margem e entregou-se ao vinhedo, que a acolheu em tons verdejantes, amarelos dourados e vermelhos nacarados. O tempo desfez-se enquanto tocou cada folha, acariciou cada cacho de uvas e inalou o odor inebriante da terra e da vinha.
Toda aquela obra maravilhosa ao alcance dos seus sentidos, era um momento, apenas isso. Não iria reter-se ali à sua espera e ela tinha consciência disso.
Deixou-se levar pelo sossego da cor, pelo sussurro da aragem, pela textura da Natureza. Folhas, bagas, terra, humidade. E ela.
Por um momento, fundiram-se num instante de vida. Na paz de quem ousou ultrapassar um limite.
Como num acto de amor que nunca se vive igual.

7 comentários:

G... disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
G... disse...

Reflexão doce sobre a vida. Sobre a sucessão de momentos, apenas, que nos sustentam o peso do corpo - tantas vezes excedentário.
Gostei muito.
Um beijinho

Antonio Saramago disse...

Olá!
Por pontes,estradas,carreiros onde as PARRAS escondem os tão bonitos e deliciosos cachos de uvas.
Tanta delicia TU nos dás!

São disse...

Estupenda metáfora acerca da nossa vida em que , por vezes, os medos nos impedem de lançar ou atravessar pontes...

Boa semana.

Chousa da Alcandra disse...

Folhas, bagas, terra, humidade. E ela...
Moitas veces así andamos.

Beijos perspicaces

BlueVelvet disse...

Antes de passar um limite a adrenalina. Depois, a Paz.
É isso mesmo.
Lindo texto.
Beijos

bettips disse...

Uma orgia de Outono, como sabe bem mexer nas vinhas, deitar os olhos -
pensar-terra.
Bjs

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin