25 novembro 2007

Lembras-te?


Evaporámos os anos. Foi-se o tempo que nos separou.
A conversa flui, as horas do contra, como naqueles anos.
Por momentos, as ideias borboleteiam em torno da vida visível, a do dia-a-dia apartado pelas circunstâncias.
E depois volta tudo. A areia não seca da onda que a banhou. A ondulação não pára, antes adquire novos ritmos. Traz consigo o aroma e a cadência de outros tempos. Envolve-nos nas histórias vividas no compasso da adrenalina juvenil, aproxima-nos e afasta-nos, simultaneamente. Sobretudo, estreita-nos.
Recordamos episódios caricatos, memórias estudantis, partidas da vida, quando esta se vivia descontraidamente, ao momento.
Foram risadas, noitadas, parvoíces partilhadas a conta-gotas. Passeios nocturnos e encontros diurnos, amigos comuns e cursos diferentes.
Num ambiente só nosso. Cão e céu nocturno testemunhas eventuais.
Cuplicidade além-fisionomia...
Escondemos cafés onde ninguém os viu, desatolámos carros e contámos estrelas em corridas de submarinos.
Deixámos os estudos a marinar para a noite pós-solar. Ou para o dia após essa noite.
Fomos aqui e não chegámos a ir ali, mas a espontaneidade esteve sempre do nosso lado.
Agora há assunto a sobrar do tempo. Tantas palavras por dizer... Mas também, dizê-las todas não foi, nunca, a nossa preocupação...

14 comentários:

Sol da meia noite disse...

Bom texto. Profundo.
As lembranças... as palavras... o tempo...
Tudo passa, mas tudo fica.

Beijinhos

Maria Jose disse...

Fizeste-me recordar outros tempos...
Saudade...

Blue Velvet disse...

Olá querida,
que bom, um post novo.
Leve, mas profundo.
Quantas lembranças de um tempo que todos vivemos e não volta mais.
Soubessemos nós que passava tão depressa.
Mas não.
Tínhamos o Mundo na mão.
E a música, Abrunhosa no seu melhor.
Hehe
Beijinhos

Sei que existes disse...

Que tempos maravilhosos!...
Gostei de sentir o que escreveste!
Beijo grande

Blue Velvet disse...

O AMOR FECHOU A LOJA!
Bem, não posso deixar de agradecer, reconhecida, os comentários feitos à margem sobre este Post.
Não é mais do que a expressão daquilo que, de facto, agora queria como amor.
Mais uma vez, obrigada e
Beijinhos

Pena disse...

Linda Amiga:
Que delicioso e terno reencontro que o tempo decidiu separar.
Lindo...!!! Lindo...!!! Lindo...!!!
Uma cumplicidade sentida com o coração. Maravilhosa. Que relato fascinante.
Um sonho arrebatador que trasnpõe barreiras de forma arrebatadora.
Escreve deliciosamente. Excelente!
Parabéns! Adorei! É brilhante.
Beijinhos amigos de elevada estima e consideração
Com respeito

pena

Levo na minha companhia o seu Link, por tudo o que escreve com talento que me deixa maravilhado, acredite? Espero não se importar.

Anónimo disse...

Que bem que sabe voltar a trás nas memorias.
Pensar nas coisas boas e nas pessoas importantes que passaram pela nossa vida, algumas ficam (felizmente para sempre)outras também ficam pelo menos na nossa memoria... e que bem que sabe recordar!

Maria disse...

Que anónimo me perdoe mas nem sempre as recordações fazem bem, porque são tristes ou boas demais, e aí...é uma angústia!

a.filoxera obrigada a visita ao meu blog.
Bj

Paulo Sempre disse...

São inúteis as palavras, quando o amor é maior...
Beijo.

PS: Obrigado pela visita.

a.filoxera disse...

A todos: com palavras como estas, com que me deliciam, também vocês fazem, desde já, parte das minhas lembranças mais queridas.
Obrigada, do fundo do coração. Não imaginam o quanto é bom ter-vos por aqui.
Beijos amigos.

carla disse...

A tua escrita vai ao osso, kerida.

Anónimo disse...

nunca q esqueças q o passado é passado....

a.filoxera disse...

Ao "anónimo" de hoje: não, nunca me esqueço disso. E tu, nunca te esqueças que muitos dos textos que escrevo são ficção, como sabes...

Anónimo disse...

ficção? tal como diz a música do Jorge Palma "deixa-me rir..."

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin