10 setembro 2007

Avante

Era eu miúda de três anos e do meu repertório musical constava já o Avante, Camarada.
Pai de ideias comunistas, mãe nem tanto, certo, certo era que, em Setembro, a festa era nossa. Na Ajuda, na Amora, no Seixal.
A mim, interessavam-me os espaços ocupados pelos países, regiões ou cidades que exibissem artesanato, fotografia, música ou doçaria própria. As demonstrações de ginastas. E, claro, aquele ambiente especial de três dias de tu. Todos a tratarem-se por tu. Conhecidos, desconhecidos, novos, mais vividos, eles e elas, todos na igualdade democrática do tu.
Sinto saudades da Festa. Este ano dei-me conta de terem já decorrido muitos anos desde a última visita que lhe fiz. Como se a doença que afastou o meu pai da festa e da realidade, não lhe permitindo esse prazer nos últimos anos de vida, me tivesse afastado por arrastamento.
Cansada, ou melhor, exausta das guerras em que tenho estado envolvida, dei por mim a ter de recusar convite de amigos para ir no Sábado. Uma recusa penosa, mas o corpo recusava-se a obedecer à mente.
Comentei com a minha mãe esta recusa. Lamentámos juntas a ausência.
E pensei. E disse "para o ano irei", com a determinação de quem quer recolocar na normalidade mais este pormenor.

5 comentários:

Jograis e Trovadores disse...

Para o ano também quero ir.Exactamente como tu, há uma recusa em lá voltar sem encontrar explicação. Foram momentos muito felizes os que lá passei.
Beijinho

Alex disse...

Para o ano quem sabe ...
Talvez seja este o momento apropriado para te falar sobre as palavras que me deixaste. A paz no peito. A paz cá dentro, que deixe o coração bater lento ...
Andaste a passear pelas minhas amarras, fiquei contente por isso.
Um beijinho

SOBE E DESCE disse...

Pela primeira vez vejo o seu blog a cores. Uma deficiência q já descobri só o mostrava a preto e branco.
Está bonito, os meus parabéns.
Nunca fui à festa do Avante, mas sei q costuma ter coisas interessantes. Gosto pouco de festas do género, dizem-me pouco. Não é por razões políticas é por não apreciar.
Sempre me cansaram!...
Bj

José Gomes disse...

Recordo-me da primeira Festa do Avante, da multidão que arrastou! E logo eu que me sinto a sufocar no meio de muita gente!!!
Estes últimos anos tenho ido menos vezes à Festa do que gostaria, mas foi difícil gerir a vida nestes últimos anos.
Este ano que pensei ir à Festa do Avante (o meu pai já partiu e tivemos que dedicar estes últimos anos a ele) mas acabei por ficar em casa. Sem vontade própria para arrancar-me cá do Porto.
"Para o ano lá estarei! Sem procurar desculpas para não sair de casa" - pensei!

Gostei deste teu artigo. O blog graficamente está muito agradável.
Obrigado pela visita ao Chuviscos,
Um abraço,
José Gomes

Anónimo disse...

Também eu não lá vou á uns anos. Da última vez, foi no 1º ano na Quinta da Atalaia.
Da última vez foi com a minha mais querida amiga de infância, que infelizmente já não está neste mundo.
Quem sabe para o ano....

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin