05 janeiro 2011

Tivesse eu as palavras certas para te dedicar

Quando ficasses refém desses medos e gritos

E o sorriso franco desaparecesse desse teu olhar

Como agora, em que choras rios infinitos

Soubesse eu cantar-te canções de embalar

E deixar-me, lentamente, adormecer contigo

Numa noite fria e escura, de ventos e luar

E o meu peito seria o teu porto de abrigo

Tivesse eu a coragem de as lágrimas te enxugar

Cobrindo-te os lábios de beijos inventados

E sei que voltarias a rir e a dançar

Num ritmo surdo de amantes embriagados

16 comentários:

São disse...

Se nós pudéssemos fazer milagres...seria tão bom

Um abraço, poetisa.

G... disse...

E se calhar tens...
:-)
Beijinhos

Maria disse...

Quase sempre fico sem jeito para comentar estes 'entre nós'... Gosto de ver a interpretação que outras pessoas dão ao que escrevo. E os sentimentos que desperto...

Beijinhos.

© Piedade Araújo Sol disse...

tão terno. tao suave, tão belo!

bom ano Filo e

beij

Sofá Amarelo disse...

Algo me diz que tens as palavras certas e os sorrisos francos e os beijos inventados podem tornar-se em realidades! Porque a vida é uma dança...

Maria João disse...

Filoxera

Nem sempre sabemos as palavras certas, nem sempre conseguimos transformar os sorrisos perdidos nos rios que vemos chorar em danças felizes e amantes. Mas sabemos deixar a alma falar, quando mais nada pode dizer tão bem o que sentimos. E isso já é tanto!

Lindo!

Um beijinho

Carminda Pinho disse...

Muito bonito!
:)

Beijos

Braulio Pereira disse...

mais uma vez..
tua suaveza. doçura
teu perfume. terno Amor
enbriaga minha alma.

se feliz

beijo!!

paulofski disse...

Poema e música perfeitos num final de tarde que pede aconchego e abraços calorosos.

Muito bonito.

Jony River disse...

Despertas sempre sentimentos antagónicos....tudo depende da forma e interpretação que se dá aquilo que escreves.....mas uma coisa é certa: são sempre palavras perfumadas....beijos

Chousa da Alcandra disse...

Estou seguro de que tés as palabras e maila coraxe para saber cantarlle as cantigas que vos adormecerían...So é cuestión de ocasión.

Beijos de aninovo

O cozinheiro solitário disse...

Olá a todos os que vão ler este comentário neste blogue ou noutro muito bom como este. Pois é, estou encantado com todos estes posts bem feitos, quase que desenhados. Pois, eu gostava de fazer igual, mas não consigo. O meu dilema agora é cozinhar… A vida é dura e obrigou-me a morar sozinho, e a cozinha não é de todo o meu local favorito. Mas estou a tentar conhecê-la, mas as aventuras têm sido imensas. Fiz um blog humilde para colocá-las em forma de crónica pouco extensas. Gostava muito que todos vocês o visitassem e se possível o seguissem. É que tentar cozinhar e depois não ser ajudado, é algo muita mau.
Cumprimentos a todos!

http://tenhosalfaltamecolher.blogspot.com/

De Amor e de Terra disse...

Minha menina, não acredito que as palavras certas não te ocorram na hora desejada; mas se assim não for, olha, toca e sorri, que tudo o mais se fará possível!
Bjs.
M.M.

Nilson Barcelli disse...

Acredito em ti, nas tuas palavras, no teu canto e na tua coragem. Por isso, arregaça as mangas e vai à procura desse "ritmo surdo de amantes embriagados".
Excelente poema, gostei imenso.
Querida amiga, boa semana.
Beijo.

© Piedade Araújo Sol disse...

beijo

Odele Souza disse...

Tivessemos nós a capacidade de manter a vida numa eterna dança, com melodia e ritmo que nos fizesse bem. Ah! que bom seria.

Muito bom ler este teu bonito texto.

Beijos e bom 2011!

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin