07 junho 2010

Arde um sonho no meu peito

Que me faz ficar refém

Do que ainda não foi feito

Mas da saudade também



Arde um sonho no meu peito

Que eu quero alimentar

O sonho de ter direito

À paz que teima em não chegar



Arde um sonho no meu peito

E eu nele quero ficar

Abraçando-te naquele jeito

De quem diz, mesmo sem falar

12 comentários:

Maria disse...

Arde um sonho enorme no meu peito. Uma sede que nenhuma água sacia. Faz o que tens a fazer, com preceito. Que o futuro irá chegar, um dia.

Um beijo.
:)

Maria, Simplesmente disse...

Óptimo Filoxera... essa poesia cá para fora...
Bj
Maria

Ana Magalhães disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana Magalhães disse...

Arde um sonho no meu peito
Que eu quero alimentar
Pois!... fica sem efeito
O homem vai trabalhar!

(efeito do trabalho nocturno)

Ana Magalhães disse...

(causa/ consequência)

Chousa da Alcandra disse...

Os sonhos do peito acaban por achegarse tamén á mente...

Beijos

Vieira Calado disse...

Em jeito de quem diz quadras...

está muito bem feito!

Bjs

Nanna disse...

Oii
obrigada pela visita no meu blog
www.nandralaura.blogspot.com
visite sempre q quiser
bjaum e mto poesia pra ti

Pitanga Doce disse...

Há aquele abraço que diz tudo. Eu sei como é...

IMaria disse...

um escrito a quente muito poético e bonito. A que escrevo, é muitas vezes a quente, mas tem um sabor muito gelado.

São disse...

Sinceramente, gostei muito!

Boa semana.

Maria Jose disse...

Então o livro ?! :))

Beijokinhas...

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin