22 janeiro 2010

Ausente

Pouco paro em casa e, em casa, não paro.
Não há como parar nesta minha vida.
Após tantas alterações radicais nos últimos tempos, chegou a época da ressaca. Se já começava a custar-me obedecer ao despertador, agora piorou...
Domingo para Segunda: acordei duas vezes durante a noite. Mafalda com choraminguice indecifrável.
De Segunda para Terça: mais duas vezes me levantei de noite. Tosse.
Terça para Quarta: chorou às 2 da manhã. Xixi na cama. Peguei nela, para a banheira, pijama lavado e deitei-a na minha cama.
Entretanto, fiz a dela de lavado e pus a roupa na máquina a lavar. Ela dormitava nos curtos intervalos que a tosse lhe concedia. Depois encostava-se a mim, parecia querer absorver-me, vinha para a minha almofada, a seguir já queria dormir com a bochechinha em cima da minha cara, agarrada ao meu pescoço.
Lamúrias constantes. Chegou a vez de querer molhar a orelha. "Dói", dizia.
Adormeci pouco após as 5. Quando o despertador tocou, soou a tortura.
Otite.
E eu com umas dores no corpo como se tivesse sido atropelada por um camião.
Sabem que mais? Consulta do Vasco; todos os dias muitas horas de pé, parada; ida a Portimão e Beja e regresso no mesmo dia; morte do pai de um amigo (e eu nem consegui estar com ele); procura de aconselhamento médico para as minhas dores de estômago; reunião com a professora do Vasco; preparação de malas dos miúdos para o fim-de-semana; comunicação com a empresa todas as noites para troca de informações e e-mails; e muitos, muitos ficheiros como tpc para o fim-de-semana. Mas é o trabalho inerente a uma nova aposta profissional bastante exigente. O início obriga a esforço extra, para me organizar. No meio da algarzarra das crianças, da televisão, dos entusiasmos e brigas.
Não estranhem a minha falta de escrita ou de comentários. Primeiro a exaustão, depois o prazer (ou será que não é assim???)...
Vou fazer com que sobre algum tempo, e tentar que seja apenas de pura descontracção.
Leitura, descanso, dois dedos de conversa, tudo intercalado com os meus tpc...

6 comentários:

Maria disse...

Descansa. Muito. De preferência nessa casa branca de porta bordada a azul...

Beijos

Gi disse...

Deixa lá os nossos blogues e o teu por uns tempos. Não devem ser motivos acrescidos de stress.
Quanto a essa tua vida, também tenho uma prima com duas crianças pequenas e na mesma situação "civil" que tu que sofre do mesmo.
A vida é assim ... cheia de 31's.

mundo azul disse...

_________________________________


Já passei por isso três vezes... Sei muito bem como é! Quando são pequeninos, apresentam sempre algumas novidades(nem sempre boas).

Mas, amiga, eles crescem tão rápido e tão rápido vão em busca da própria vida, que acabamos por sentir saudades das noites mal dormidas...


Beijos de luz e carinho!!!

__________________________________

Antonio saramago disse...

As melhoras da tua Menina e nunca lhe faltes com o teu calor de Mãe, nunca te canses de sofrer por causda dela e quanto a nós, está tranquila, saberemos esperar.
Tens agora uma vida atarefadissima, mas uma Mulher sabe sempre dar a volta ao texto!!!

BlueVelvet disse...

Vida de mãe trabalhadora é mesmo como descreves.
Mas passa. Depressa demais.
Ainda vais ter saudades desses tempos.
No entretanto, vai tentando descansar nos intervalos.
Beijinhos.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Descanse bem. Nós cá estaremos quando regressar. As melhoras da miúda.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin