16 novembro 2009

Há dois anos a manhã acordou assim

















e eu fiquei deslumbrada ao abrir as portadas.
Um dia colorido, logo ao amanhecer, é prenúncio de boa disposição.
Agora, Novembro já não tem estes tons, eu já não tenho aquelas portadas
e o céu perdeu a poesia...

17 comentários:

elvira carvalho disse...

O céu nunca perde a poesia. As lágrimas e os desgostos da vida é que nos turvam a vista.
Um abraço e que breve breve volte a ver o céu colorido.

t i a g o disse...

Espero que possas voltar a ver essas cores muito brevemente... *

Gi disse...

Claro que tem essas cores, pode é não ser nos mesmos dias. Até nós temos dias com estas cores e outros de outras. :)

São disse...

Querida, a poesia continua lá...no céu, também em ti.

A sequência das fotos é magnífica.

Para ti, uma semana poética.

gaivota disse...

com mais nuvens e menos sol, com portadas escancaradas ou cerradas, a tua poesia está viva!
e coloridaaaaaaaaaaaa
beijinhos

Sofá Amarelo disse...

A poesia continua lá no céu... tens é que redescobri-la!!!

Estas fotos estão espectaculares!!!

Muitos beijinhos!!!

Meg disse...

Filoxera,

Mas guardaste as memórias desse dia.
Mergulha nelas e sonha, enquanto não se paga para sonhar.

Um beijo

Chousa da Alcandra disse...

A poesía, amiga, fica en ti!. Eu...percíboa.

Beijos molhados de novembro, que fecundarán a primaveira que voltará

Carlos Albuquerque disse...

Trago aqui uma paleta, guaches, óleos e até aguarelas. Pincéis e espátulas.
Se precisar, também há régua, esquadro e compasso.
Faça o favor de desenhar outras portadas e pintar o Outono com novas cores de outros tons.
Não se esqueça do azul que ali está, é para o céu. Com o guache dourado pingue lá uma estrelinha, deixe-a crescer. Quanto à poesia, peça-a ao mar, assim que o vir e lhe possa falar.
;):)
Um beijinho, forte abraço

Pitanga Doce disse...

Mas o céu ainda muda outra vez, vais ver. Eu sei que o tempo custa mais a passar quando ele está nublado, mas lá vem o dia que o Sol entra pela casa sem pedir licença ou avisar. Acredita.

beijos e cores

Maria, Simplesmente disse...

Filoxera:
A poesia está em nós e não na cor do Céu dum dia.
Mesmo no cinzento destes dias somos capazes de encontrar uma poesia, diferente sim, mas bela.
Se olharmos à nossa volta vemos que tudo... mas mesmo tudo... é poesia, sofrida ou não... mas a poesia está lá.
Pode crer que está.
Beijos
Maria

tulipa disse...

Até uma melhor oportunidade, deambulei por PARIS e já estou de volta...fugi dos temporais do Porto e de Lisboa, tudo por cá voou, ventos fortes e chuvadas intensas e eu por lá passeando, feliz da vida.

Vejo belas cores neste céu de Outono.
Eu ADORO o Outono e nesta viagem vim maravilhada com as belas paisagens que esta estação do ano proporciona.

Fique bem.
Beijinhos.

BlueVelvet disse...

Novembro não é propriamente um mês para estes amanheceres.Outros virão com a Primavera.
Quanto ao que perdeste, ganháste outras coisas em troca, portanto toca a arrebitar.
Beijinhos

Braulio Pereira disse...

há sempre um novo amanhecer..


sonhar é viver..


o vento sopra sem saber...


esperanças há-de trazer..



um beijo....

Antonio saramago disse...

Amanhã (5ª) vai acordar bonita!!!

Vieira Calado disse...

Espectacular amanhecer, sem dúvida!

Beijinho

Rafael Castellar das Neves disse...

E o dia poderia ter parado por anos nesse acordar...que cores!

Abraço,

Rafael

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin