03 setembro 2009

A Vida (Mário Quintana)

(foto retirada da net)


A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.


Quando se vê, já são seis horas!


Quando se vê, já é sexta-feira...


Quando se vê, já terminou o ano...


Quando se vê, perdemos o amor da nossa vida.


Quando se vê, já passaram-se 50 anos!


Agora é tarde demais para ser reprovado.


Se me fosse dado, um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.


Seguiria sempre em frente e iria jogando, pelo caminho, a casca dourada e inútil das horas.


Desta forma, eu digo:


Não deixe de fazer algo que gosta, devido à falta de tempo,pois a única falta que terá,será desse tempo que infelizmente não voltará mais.



Mário Quintana

15 comentários:

Maria disse...

A quente digo que vivo o momento, intensamente.
A frio digo que às vezes penso...
:)))

Beijinho

Pipinha disse...

Olá querida amiga,
A vida é um espectáculo imperdível e devemos vivê-la intensamente, antes que a cortina se feche.
Gosto muito dos textos de Mário Quintana.
Obrigada pela partilha.
Resto de boa semana com muito carinho, paz e alegria no coração.
Beijinhos carinhosos e abraço meiguinho.

Patti disse...

E é tão bom acordar todos os dias.

Sofá Amarelo disse...

Mesmo sem conhecer este pensamento acho que é o que eu venho fazendo de há 2 anos e meio para cá...

Muitos beijinhos!!!

Pitanga Doce disse...

Então é isso amiga. Uma praiazinha aqui, um cineminha acolá, um beijinho doce depois, já está...

Carlos Albuquerque disse...

Toda a vida o fiz, ou, melhor dizendo, o tentei fazer. A vida, porém, é uma galdéria de luxo que se dá a caprichos. Ora me dizia é por ali, como logo acrescentava não, não vás por aí para depois se quedar à espreita. Mas, como eu gosto dela...
Só Mário Quintana, de que muito gosto, fazia da vida um TPC. Para que não se fique a rir por nos ter embrulhado, aqui lhe respondo, com palavras dele:
O MORTO
"Eu estava dormindo e me acordaram
E me encontrei, assim, num mundo estranho e louco...
E quando eu começava a compreendê-lo
Um pouco,
Já eram horas de dormir de novo!"

Agora, O MORTO e a vida que se avenham.
Um beijo, Filoxera

Goldfinger disse...

Quanto ao texto... eu tento viver um dia, um momento, uma hora, um segundo de cada vez e com toda a intensidade possível.
A vida é tão curta que temos de a aproveitar. Ainda hoje estive no funeral de um amigo de liceu que com a minha idade partiu mais cedo.
Por isso, Filó... viva com toda a força e não desperdice nada.

Beijinhos.

António

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá, Grande texto...Espectacular....
Beijos

Isamar disse...

A vida passa por nós sem que tenhamos tempo de nos aperceber disso. Uma corrida de alta velocidade e compete-nos a nós viver intensamente cada momento.

Beijinhos

Bem-hajas!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Há tempos escrevi um post que apontava nesse sentido.É uma verdade insofismável. Se não viers o momento e estivrmos sepre `espera do dia de amanhã, não gozamos a vida

jo ra tone disse...

Verdade verdadinha
O poeta não se engana,
Beijo

elvira carvalho disse...

Como sempre Mário Quintana, falando como sábio.
Vamos seguir o conselho?
Um abraço e bom fim de semana

Pitanga Doce disse...

Ó Filoxera, afoga lá o homem dos quadradinhos, pá!

bom sábado

Pena disse...

Oh, Sensível e Linda Amiga:
Já lhe disseram que fascina...?
Um texto soberbo e arrebatador de doçura, significação imensa e muito enternecedor. Visível.
Parabéns sinceros.
Beijinhos amigos de admiração pelo seu encanto.
Respeitosamente...

pena

Adorei!

Carlos Albuquerque disse...

Então, Filoxera, o que é feito?
Um beijo

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin