05 janeiro 2009


(foto surripiada a uma amiga, que por sua vez a encontrou na net)

Estou aqui, estou a apanhá-los todos. Os fragmentos de vida, as fagulhas, os arco-íris.
Juntá-los-ei todos numa obra que será um musical mas também uma poesia.
Uma ode à vida, onde as dores também têm o seu espaço, onde a perda nos consome, mas também nos reforça o gosto pelos nossos tesouros.

Não tenho nada. Tenho a imaginação.
Mas sou mulher para guardar na caixa de recortes só o que conta. Contam os dias de Sol, os passeios e a praia. Conta a flor inesperada, a amiga alma-gémea, o chocolate negro, as corridas dos meus filhos para os meus braços. Contam os leitores que botam acima, os anónimos que acarinham, a telepatia, os retratos antigos.
E aqueles momentos de entusiasmo, uma música vibrante, um filme apaixonante, eu e os miúdos a descer pelo escorrega. Os livros trocados com amigas, os olhares marotos de quem fez asneira.
A lembrança de tudo o que vivi com os que já não estão cá.
Na minha caixa de recortes só há lugar para o que é positivo. Um pôr-do-Sol mágico, uma gole de sangria enquanto se rouba uma garfada ao prato do conviva do lado.
Risos, muitos risos, até às lágrimas.
Gelado no nariz e no queixo, cartas de amor, caras alegres.

Vou guardar os vossos gestos, as palavras mais belas, as dedicatórias que me deixam de lágrima ao canto do olho.
E conchas, estrelas do mar, borboletas coloridas e riachos que cantam. Peixes que emergem e voltam a mergulhar, Natureza, passeios de canoa.
E festas-surpresa, peças de teatro. Beijinhos à esquimó.

É que, como vos disse, nesta caixa só há espaço para o essencial.
E o essencial é o que nos faz bem.

17 comentários:

Pitanga Doce disse...

Estavas tão inspirada quando escreveste, ó rapariga! Olha, também falo em ti num dos comentários lá na árvore.
Quanto li o que escreveste lembrei-me de mim mesma há uns dez anos atrás. Vá lá: uns quinze anos! É que sempre esqueço-me de que o rapaz já tem 23.

"as corridas dos meus filhos para os meus braços.".


beijos, menina-mãe!

Sofá Amarelo disse...

Filoxera,

começaste o ano super inspirada - este foi o texto mais bonito que já li na net este ano e um dos mais bonitos de sempre - cada palavra tem um sentido profundo, conseguiste viajar por todos os sonhos da Alma! Parabéns!!!

Continua... acredito que este ano vais continuar a escrever coisas muito... sentidas!!!

Muitos beijinhos!!!

Maria disse...

Sinto um nó na garganta...
Não te vais embora, pois não?
Às vezes há textos que eu preferia não ler, ou não interpretar (a meu jeito, entenda-se...)

Abraço-te. Forte.

Vekiki disse...

Acredita. A tua caixa de recortes tem o que uma caixa de recortes deve realmente ter. O bom. O que faz sorrir e rir. O que faz o coração bater mais forte ou balançar de ternura. E quando se tem uma caixa de recortes tão bem recheada, todos os pequeninos recortes mais escuros depressa se desintegram, porque sabem que ali não há lugar nenhum para eles!
Beijos.

Maria, Simplesmente disse...

Filoxera:
Guarde só o que conta, deite o resto fora...
Pelo que conta lute sempre... até não poder mais.
Bj
Maria

Oliver Pickwick disse...

Um texto bonito e mais que conveniente para começar um novo ano.
Desejo-lhe um feliz ano novo para você e à maravilhosa dupla que preenche e ilumina a sua vida.
Um beijo!

P.S.: desculpe o delay na resposta, é que ainda estou de férias.

Gi disse...

O que não é bom também conta, principalmente, porque assim sabemos e saboreamos melhor o que guardamos na caixa de recortes.
Há quem guarde cortes confundindo-os com recortes.

São disse...

O texto está lindo, mas não é uma quase-despedida , pois não?...
E para essa ciaxa de recordações, espero que vás buscar as romãs que te ofereço lá em casa!
Feliz Dia de Reis, linda!

1/4 de Fada disse...

Que caixa de recortes tão bem preenchida e que texto tão inspirado. Pudera conseguir recordar só o que agrada...

Sofá Amarelo disse...

Revisitando... beijokas!!!!

Patti disse...

E que recortes sempre aquilo que te faz mais feliz, pois é o que te dá inspiração e alento.
Beijinhos recortados a tesoura de ponta fina.

Si disse...

É a essa caixa que todos devemos ir buscar as nossas forças para continuar a lutar, a sonhar, a acreditar, quando os recortes se juntam e formam o conjunto daquilo que realmente somos e valemos.
Beijinhos

Maria Jose disse...

É isso mesmo : o essencial é o que nos faz bem !

Liiiiinda !

Beijinhos

Maria Jose disse...

Eu gosto mesmo é dos beijinhos à esquimó ! :))

Carla disse...

é sim senhora...e que haja muitos essenciais nesta tua caixa
beijos e bom ano

BlueVelvet disse...

E não é o essencil que só se vê bem com os olhos do coração?
Que saudades que tenho dos beijinhos à esquimó.
beijinhos de veludo para ti

Anónimo disse...

Que texto lindo! Não há necessidade de mais palavras... Bj

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin