23 setembro 2008

Aventura no aquário

(este é mais um post de parceria com o André, em que a foto é dele e consta do seu álbum http://flickr.com/photos/andreamaral e o texto é meu)

Não sou pessoa para ficar a olhar para um écrã televisivo só pela companhia. Por mim, até vivia bem sem televisão. Gosto de ver um ou outro noticiário e, de vez em quando, até posso ser apanhada a ver um filme ou um documentário. Isso sim, até faria mais vezes, mas julgo que só será possível quando os meus filhos já não quiserem a minha companhia frequentemente.

Prefiro olhar para um quadro real que para um écrã; essa é uma das razões pelas quais cá em casa existe um aquário. Coisa pequena, apenas leva 39 litros de água doce. Água que, ao longo de mais de três anos, se manteve fria, até que há umas semanas, de tanto trabalho que me deu limpá-lo, lembrei-me de complicar as coisas.
Pois se até havia por aí um termostato que nunca conhecera uso, porque não inseri-lo no ambiente aquático e povoar este com outros tipos de peixe, além dos laranjas, do preto de cauda farfalhuda e do capuchinho vermelho?

Se fui rápida a pensar, não podia deixar de sê-lo a passar à acção.
Passei, com o Vasco, na loja exclusiva de aquariofilia e informei-me dos procedimentos e do tipo de habitantes novos que poderia acrescentar, sem perigo de canibalismo por parte dos pioneiros, já que estes cresceram, e cresceram, e cresceram...
Criado o novo ambiente, os antigos moradores ganharam novos coabitantes, um limpa-vidros preto e um limpa-fundos transparente, acinzentado. Bem pequenininhos....
A adapatação correu bem, até que, há dias, apanhei um susto daqueles.

Com frequência espreitava o interior do aquário, certificando-me do estado dos mais novos e, desta vez, não parecia que estivesse a ver bem.
O preto, quietinho no fundo, nem se mexia.
O outro, nicles... não o descobria. Duvidando da minha própria capacidade visual, fui prescrutando o interior, cada segundo mais espantada, cada instante mais desconcertada.
Até que a minha mente descortinou o que temia: a boca do maior peixe revelava a pontinha de uma cauda, pequena.

Fiquei tão surpreendida quanto revoltada, ao ver que o limpa-fundos estava a servir de repasto do big fish. Seria possível, canibalismo no meu aquário? Pois se o vendedor até me garantira que isto não sucederia...
O laranja, grande, parecia atrapalhado com o outro "encalhado" na sua boca. Cheguei a pensar que iam ambos desta para melhor...
Inconsolável, lamentando a morte precoce do limpa-vidros, que retirámos logo dali, ia blasfemando contra o grandalhão que abocanhara o minorca limpa-fundos. Cheguei, mesmo, a dizer: "bolas, se fosse um cão ou um gato ainda podia ralhar-lhe, castigá-lo, mas com um peixe nem posso fazer isso..."
Incomodada, deitei os miúdos e só muito depois voltei a olhar para o aquário, numa admoestação engolida àquele assassino que surgira na nossa própria casa.
Incrédula, até pisquei os olhos. Esbugalhei-os, de seguida, atónita. O pequenitates voltara ao reino dos vivos.
Ali andava ele, todo espevitado, a alta velocidade de uma lado para o outro a percorrer o fundo daquele ambiente, sem o mais leve indício de que algo não estivesse bem.
Já passaram vários dias e ele lá continua, vivinho como sempre, com a energia habitual, felizmente...

14 comentários:

Maria disse...

Dizem que a Natureza se equilibra a ela própria....
... e que nós é que estragamos tudo...

:)))

Beijinhos

Carla disse...

a natureza é mãe...ela cria as mais elementares regras de sobrevivência

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Tenhou 3 aquários grandes que são a minha perdição. Fico horas a olhar para eles e dão bastante trabalho para manter tudo em ordem mas, felizmente, tenho quem o faça por mim, quando estou fora. E sabe que tenho saudades dos meus peixes, como noutros tempos tinha dos meus cães?

São disse...

Ainda bem que a aventura teve final feliz!
Mas é por não haver essa comunicação que nunca me entusiasmei por criaturas assim, por mais engraçadas que fossem.
Gostei do site : tem fotos giras.
Um abraço.

BlueVelvet disse...

Que bom que tudo terminou bem.
Nunca tive um aquário exactamente porque não tenho forma de comunicar com os peixinhos, mas acho-os lindos, e para as crinças é óptimo para elas se habituarem a tratá-los.
Beijinhos e veludinhos azuis

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida Amiga, belíssimo texto, os meus sinceros parabéns!...
Beijinhos de carinho,
Fernandinha

Oliver Pickwick disse...

O aquário é uma TV com quatro telas. Só que muito mais relaxante. ;)
Linda canção, esta do playback.
Um beijo!

Carminda Pinho disse...

À medida que ia lendo este teu post, ia ficando cada vez mais arrepiada, até que finalmente...bolas! Tudo acabou em bem.:)

Beijos

jo ra tone disse...

"Os grandes comem os pequenos"
Como se pode ler no sermão de S. António aos peixes.
Nem aquário, nem pássaros engaiolados tenho.

Uma vez libertei dois verdelhões "novos", de uma gaiola, porque os seus progenitores à sua volta entoavam um cantar incessante de verdadeira trsteza.
Ficaram tão felizes ao sentirem-se em liberdade, que jamais me deixaram de visitar.
Bjo

Patti disse...

Ufa, também respirei de alívio, com esta aventura da natureza animal.

1/4 de Fada disse...

Tive um aquário há uns anos em qua houve uma aventuras semelhantes, com umas cenas de canibalismo que me deixavam doente, depois havia os partos das fêmeas, que me obrigavam a estar de camaroeiro na mão para salvar os filhotes de acabarem num banquete... Quando morria algum eu ficava num desespero. Resumindo, acabei por dar o aquário! Aquilo era um sofrimento pegado apara mim.

Sophiamar disse...

E tudo está bem quando acaba bem. O pequenitates salvou-se sabe-se lá porquê ou como mas o certo é que voltou ao seu habitat.Nem sempre os grandes devoram os pequenos.

Beijinhos," mãe linda". Nunca te esqueço embora, por vezes, pareça ausente.

Tiago. disse...

Adoro aquários... :D Que grande aventura... eu é que não gostava de ter estado dentro da boca do outro!

Beijinhos
Tiago.

Maria Jose disse...

Ahh...também já tens o "bichinho" dos aquários !... Junta-te ao clube !
O meu aqua tem 100L mas estou a ponderar comprar um maior...
Com o tempo vais aprendendo as espécies que podes juntar ou não, vais tendo filhotes,...

Um grande beijinho

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin