14 julho 2008

Da França para o Mundo

(foto retirada da net)


A Europa do séc. XVIII via questionados o poder absoluto dos reis e as ordens privilegiadas.
Em França, o panorama absolutista de uma sociedade estratificada dabatia-se com a difusão dos ideais iluministas pelo terceiro estado, a par de de uma burguesia em ascensão que se afirmava economicamente. Tudo isto emoldurado pela crise económica e financeira e agravado pelas guerras recentes em que a França se envolvera, a dos Sete Anos e a da Independência dos EUA.
A tensão social iria desencadear a Revolução Francesa.
A Convocação dos Estados Gerais resultou no "juramento do jogo de péla", em que os representantes do terceiro estado se comprometeram a não se separarem enqunto a França não tivesse uma Constituição.
Na segunda fase da Revolução Francesa, a da Assembleia Nacional Constituinte, elaborar-se-ia essa Constituição, que alteraria todo o aspecto político e social do país. O clima de insurreição teria como rastilho adicioanal para o levantamento o aumento do preço do pão, essencial na alimentação dos franceses. Esta fase culminou na tomada da prisão da Bastilha, no dia 14 de Julho de 1789.
No período designado por Assembleia Legislativa, os jacobinos apoderam-se do governo, abolindo a monarquia e dando origem à primeira república.
De seguida, durante a fase da Convenção e Terror, é instaurado um regime de terror conducente à morte de Luis XVI e, posteriormente, da rainha Maria Antonieta, bem como de milhares de franceses, desde nobres a cientistas (como Lavoisier), poetas, girondinos e mesmo os líderes da Convençaõ (Robespierre e Danton).
Proibia-se o culto cristão, instituindo-se como religião oficial o poder da Razão.
Porém, a burguesia consegue recuperar o poder e dissolver a Convenção. Durante o Directório, cria uma nova Constituição, embora o sufrágio continue a ser censitário, como lhe convinha.
Um golpe de estado, liderado pelo general Napoleão Bonaparte, fará cair, em Novembro de 1799, o Directório, iniciando um novo governo, o Consulado, iniciando-se o Império Napoleónico, que duraria apenas dez anos.
A Revolução Francesa deu início à Idade Contemporânea. Aboliu a servidão e os direitos feudais e proclamou os princípios universais de "Liberdade, Igualdade e Fraternidade"- expressão da autoria de Jean-Jacques Rousseau- e conduziu à Declaração do Direitos do Homem e do Cidadão.

7 comentários:

Sophiamar disse...

Minha Querida Amiga

Tinha acabado de ler o teu post anterior e quando me preparava para o vir comentar, depois de ter comentado o Pena, eis que encontro aqui um post que recorda a Revolução Francesa e tudo quanto ela teve de bom para aqueles que só tinham obrigações.Direitos nem vê-los.O povo, apesar disso, continuou com as dificuldades do costume mas transformações houve que atingiram toda a Europa e nada foi igual ao que era antes. Foi o Renascimento de uma nova época que não foi bem aceite pelos outros monarcas europeus. Mas o absolutismo acabou por cair.

Excelente post!

Beijinhos

jasmimdomeuquintal disse...

Olá Obrigad apela bela lição de história..

Pena disse...

Linda Amiga:
Fiquei fascinado e maravilhado pela sua empenhada busca investigativa. Profunda. Perfeita. Importante para a Humanidade e para as pessoas sensatas, sóbrias, pelo acontecido que mudou o curso da história mundial.
Quando diz, brilhantemente:
"A Revolução Francesa deu início à Idade Contemporânea. Aboliu a servidão e os direitos feudais e proclamou os princípios universais de "Liberdade, Igualdade e Fraternidade"- expressão da autoria de Jean-Jacques Rousseau- e conduziu à Declaração do Direitos do Homem e do Cidadão.
Isto merece reflexão pela importância para todos nós.
Parabéns, doce amiga.
Adorei.
Beijinhos de estima, consideração e poderoso respeito.
Perfeito, como tudo aqui.
OBRIGADO pela sua amizade.

pena

BlueVelvet disse...

Com os preparativos do aniversário da minha mãe até me esqueci desta data tão importante.
Shame on me!
E parabéns para ti.
Excelente post.
Beijinhos amiga

Fada do Amor disse...

Serviço público não é verdade? Acho que sim.

Tiago. disse...

Liberdade!
Igualdade!
Fraternidade!

A Revolução Francesa é um marco na história do mundo... :)

Desculpa por durante tanto tempo não ter cá vindo visitar :\

Tiago.

Vieira Calado disse...

Sucinto, mas suficientemente elucidativo do que aconteceu nesse período tão importante da História do Mundo.

Agora à laia de laracha: com a vertiginosa subida do preço do pão, em Portugal, será que vamos ter uma Revolução Portuguesa, autêntica?

Beijinhos, amiga!

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin