17 setembro 2012

Um dia importante na vida familiar: 2 novas escolas, 2 novas etapas



Hoje, a Mafalda e o Vasco começam novas fases das suas vidas.
A Mafalda, com seis anos, aguarda há mais de um ano pela entrada para o 1º ano.
Autónoma, decidida, ela escolheu a escola que foi do irmão para fazer o seu 1º ciclo.
Conhecida por professores, funcionárias e alunos, não se importa de deixar as antigas turmas, da escola onde frequentou por 2 anos o ensino pré-escolar, e diz, muito segura do que afirma: “eu vou encontrar novos amigos”.
Aguarda ansiosa pelo momento de decifrar as linhas dos livros, cheias de letras que escondem histórias de imaginações mágicas. Mas espera que haja muitas ocasiões para fazer desenhos.
Quis a sorte que a professora que vai acompanhá-la ao longo destes 4 anos fosse precisamente a que ensinou o Vasco no seu 1º ciclo, concluído há 3 meses.
Acho que, no final deste trimestre, já lerá historinhas de voz doce e me deliciará com alguns bilhetes oferecidos de surpresa com um carinho até agora apenas desenhado e polvilhado por conjuntos de letras ad hoc.
O Vasco iniciou o ensino básico ainda com 5 anos e agora vai para o 2º ciclo com 9, embora mais alto que os colegas uns bons centímetros. A cabeça ainda muito infantil, a responsabilidade adiada, mas o raciocínio e o cálculo bem desenvolvidos prestaram atenção às recomendações que achei necessário fazer-lhe, a respeito dos locais que escolhem para brincar, dos meninos mais velhos, da necessidade de não dar confiança a quem não conhece, ainda que sejam alunos da mesma escola…
Vai habituar-se a gerir horários diferentes, a utilizar o cartão de aluno para pagar material escolar e refeições, vai conhecer uma panóplia de professores e rever os amigos, alguns dos quais ficaram na mesma turma. Curiosamente, um até voltou a ser seu colega de turma 4 anos depois!
Já vibra com a possibilidade de fazer surf no desporto escolar e sonha em conhecer outros paíse,s inscrevendo-se no Clube de Estudos Europeus.
Como qualquer mãe, emociono-me ao ver os meus “bebés” encetarem novos desafios. Como algumas mães, sempre os incitei a serem autónomos, a enfrentarem de peito aberto cada etapa da vida, a não recusarem uma oportunidade. Como apenas poucas, eu sou uma mãe que os acompanha de perto no seu percurso escolar, gostando de estar presente em tudo o que diz respeito à escola e representando os encarregados de educação de cada uma das turmas dos meus filhos.
Quero vê-los responsáveis, auto-confiantes, decididos e independentes, na medida das suas idades. Mas que sintam, em cada momento, que os incentivo e acompanho, que conheço os seus amigos e respectivas famílias, que participo, dou ideias e ajudo no que posso nas respectivas escolas, presente no meio escolar como no seio familiar.
Não sei o que serão quando crescerem. Só desejo que sejam felizes, equilibrados, e que eu, com todos os defeitos que por vezes demonstro, seja por eles vista como uma mãe que desempenhou bem os diversos papeis, apesar de todos os senãos que qualquer mãe tem, como os tem qualquer filho, qualquer pai. Qualquer um de nós.
 

4 comentários:

Maria João disse...


E é isso...

caminhos tantos de trilhos e asas. As nossas a abrigarem as deles, deslumbrados pela alegria com que voam e com que descobrem que, afinal, há sempre tanto para descobrir e criar e, não havendo lugar nenhum onde o mundo comece ou acabe, todos fazemos parte da mesma viagem, embora com histórias diferentes para ver, contar e ensinar.

Um beijinho, grande e bom recomeço para todos ;-)

Pitanga Doce disse...

É uma fase trabalhosa para as mães, mas sem dúvida, a melhor de todas...te garanto.

Beijos em Primavera declarada.

Pitanga Doce disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nilson Barcelli disse...

Creio que estás a ser uma boa mãe, principalmente porque lhes dás autonomia (e, com isso, a responsabilidade e também o saber enfrentar as coisas novas sem medo).
Filó, querida amiga, tem um bom resto de semana.
Beijo.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin