02 fevereiro 2010

(trouxe esta foto do blogue da Vera. Ela sabe porquê...)

Uma manhã que demorou meia hora a arrancar (leia-se: para eu sair da cama!).
Os miúdos a surpreenderem pela positiva, dando ritmo à saída de casa :-)
O trânsito fluido.
Um almoço adiado :-(
Uma consulta prometida, finalmente cumprida.
O almoço, tardio, no mesmo hospital de todos os dias, mas num snack diferente.
O livro do Vasco, finalmente, comprado. Mais vale tarde…
Os telefonemas. Sempre…
A ida ao parque ao final da tarde, como há muito não fazíamos.
Uma noite que cai sem trazer frio.
Porque a vida está sempre a mudar, vou procurar o dia de amanhã.
(…)

8 comentários:

Vera disse...

Apetece-me dizer, Lindo!
Apetece-me dizer, Força!
Apetece-me dizer, Sorri!
Apetece-me dizer, Respira Fundo!
Apetece-me dizer, Vive :-)

gaivota disse...

um dia cada dia...
vive-se, respira-se, anda-se, mexe-se
o quotidiano pode ser diferente!
beijinhos

Si disse...

Antes de mais, apetece-me dizer que a foto de topo deste blog está fantástica e me traz recordações muito boas, porque na infância, tive a sorte de poder ter esta mesma perspectiva muitas vezes, ao lado do meu pai (Charlie, Sierra, Uniform, Hotel, Charlie, certo??) ;)
Depois, apetece-me dizer que prefiro esta Filoxera mais ausente da blogosfera, mas preenchida (e, espero, realizada) profissionalmente.
Parabéns, Filo

BlueVelvet disse...

Espero que o encontres.
Beijinhos

Carlos Albuquerque disse...

Mesmo que a vida pareça não querer mudar, o importante é, mesmo, procurar o dia de amanhã.
Mas é importante não esquecer que a noite de hoje faz parte do caminho.
Beijos

Antonio saramago disse...

E fundamentalmente, saber-se o chão que se pisa..
Nada de mandrionices e sim força de vencer...

margusta disse...

Querida amiga Filoxera,
...um dia mais, mas um dia VIVA...com coisas boas e outras menos boas...

O importante é mesmo que tenhamos sempre um amanhã!

Um beijo meu,
Margusta

São disse...

Pois, amiga, a vida é mesmo mudança. Por muito que , por vezes, (nos) custe ...temos de seguir em frente.

Um abraço solidário, linda!

Ainda: se procurares no quadro de quem está a seguir o "são2 encontras a Nina.
Falei-te nela, porque está também a viver sózinha com o filho e, acho, é da tua geração.

Só não te falei em mim, que me divorciei aos 33 anos - com um filho de 10 e após treze anos de casamento- porque sou muito mais velha, rrss

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin