11 dezembro 2008

Querido Pai Natal

Começo por uma confissão: sabes, até há pouco tempo não acreditava que existisses. Vá, não ponhas esse ar carrancudo, eu já explico.
Acreditava no valor da família, na importância das tradições, no gosto de oferecer.
Mas, em relação ao Pai Natal, a minha crença era tão forte como a possibilidade de vir, um dia, a encontrar o tesouro de Francis Drake no jardim...
As convicções mudaram.
Constatei que família é uma palavra, umas vezes sinónima de amiga, outras não...
Aprendi que a tradição não é nada sem a vontade de cada um de nós. Que o gosto de oferecer é escasso e, na maioria dos mortais, se resume a dar coisas, não tempo, nem atenção, afecto...
E descobri que as crianças têm muito mais verdade.
Elas devem ter razão, ao dizerem que existes.
Qual recompensa pelo esforço, qual cada-um-colhe-aquilo-que-semeou! Na vida, muitas vezes trata-se de uma questão de sorte.
E eu resolvi ser uma sortuda bafejada pela imaginação, pelo ideal do Pai Natal

E, como me comportei tão bem ao longo do ano, peço-te duas coisas como prendas de Natal. Só duas:

TRABALHO
HARMONIA

Dás, não dás?

13 comentários:

Si disse...

As nossas crenças baseiam-se sobretudo na esperança de que, enquanto formos assim, estaremos de bem connosco mesmos e com os outros.
Acreditar não custa, foi a única força que nos fez caminhar erectos e diferenciar-nos do resto dos animais.
E a esperança, essa, é sempre a última a morrer.
Beijinhos

BlueVelvet disse...

Que lindo querida amiga.
Bem teu este tipo de texto.
O Pai Natal decerto se vai comover com o teu pedido e conceder-to.
Além de que o que pedes nem lhe carrega o saco.
É só uma questão de boa vontade e amor.
Beijinhos

Gi disse...

Acreditar e esperar e o Pai Natal virá, mesmo que fora de tempo.

elvira carvalho disse...

Fosse eu o Pai Natal e pudesse satisfazer esse desejo.
Um abraço

bettips disse...

Desejo-te assim!
Tens harmonia.
Acho que mereces trabalho.
Insiste sempre.
Bjinhos

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Vale sempre a pena acreditar no Pai Natal`, para não matarmos o sonho.
Belo post!

Patti disse...

"Constatei que família é uma palavra, umas vezes sinónima de amiga, outras não..." Perfeito!

Há-de dar, não te consumas que melhores dias virão.
Nem tudo depende de nós, mas também do acaso e da sorte.

Dá porque mereces.

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida Filoxera, desejo que tydo se realise... Boa Noite Amiga... Beijinhos de carinho e ternura,
Fernandinha

Pena disse...

Linda Amiga:
Sensível. Doce. Puro e belo. Lindo encanto passando por um mundo maravilhoso infantil. De fascínio...
Beijinhos emudecidos pela sua imensa genialidade maravilhosa poética.
Beijinhos amigos de imenso respeito.
Com consideração GIGANTESCA pelo que faz admiravelmente

pena

Sophiamar disse...

E era tão bom que o Pai Natal te concretizasse este dois desejos! Mereces isto e muito mais.
Não estou nada bem,amiga. Em breve escrever-te-ei. Hoje, sinto-me muito mal.

Beijinhos

Maria disse...

Este é um post de verdade, com verdade e da verdade sentida...
E depois escreveste com tanta doçura o que eu penso sobre isto tudo...

Um abraço grande, Filoxera.
E um beijo

jo ra tone disse...

Não deixemos que nos roubem o Natal!

http://viverseixal.blogspot.com/2008/12/querem-nos-roubar-o-natal.html
Bjo
Bom fim de semana

Anónimo disse...

Eu não acredito no Pai Natal, mas espero sinceramente que ele atenda o teu pedido. Duas coisas tão simples que ele com um bocadinho de boa vontade podia dar-te.
Boa sorte

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin