05 setembro 2007

À Maria Mamede

A Maria Mamede, dos blogs De Amor e de Terra e Se Não Houvesse Fronteiras, tem o dom de conferir beleza a um dia-a-dia tantas vezes feio, de colorir os momentos cinzentos, de adoçar a amargura, através das suas poesias.
Conhecemo-nos só pela blogosfera, trocámos um ou outro email. Mas foi como amiga que me tratou, ao oferecer-me dois presentes de aniversário vindos directamente da sua extraordinária capacidade criativa para o meu cantinho -cada vez maior- das emoções.
Quem já conheece os seus blogs não se surpreenderá, mas aos que não conhecem, sugiro que os espreitem; não darão pelo tempo a passar...
Em jeito de apresentação a futuros leitores da Maria, aqui fica um poema que seleccionei, da sua obra Palavras Gastas:



Tu És...

Minha asa de sal, meu cordel de bruma
Rosário de contas desfiadas uma a uma,
És cinzento choro no azul que canto;
És poema-limão verde de amargura
Boca-cereja de encanto e doçura
Corpo de junco que eu desejo tanto.
És fome e sede eternas de verdade
Meu ocaso, minha dor, minha ansiedade
Minha canção de paz, de mar bravio
Meu suspiro de amor, minha ternura
Sabor a mel dos dias de ventura
Fonte de seiva a transformar-se em rio.
És meu trigal maduro pela ausência
Flor vermelha da paixão demência
Que em amarelo me invade e eu desespero
És maçã-pecado do éden caída
Lava em torrente arrasando a vida
Verde de esperança que eu já não espero.


Maria: nós continuamos à espera. De mais belezas como esta.
Um abraço.

5 comentários:

Sophiamar disse...

Há coisas que só os sentimentos verdadeiros que da sua obram emanam ,nos explicam.A Maria Mamede é uma conceituada poeta do Porto como sabes e tem a humildade dos grandes.É sempre assim!
Todas as homenagens que lhe façamos não serão demais.

Beijinhos

De Amor e de Terra disse...

Olá A.Filoxera, boa tarde Amiga.
Grande prenda esta; As minhas Amigas vituais, ultimamente, têm-me deixado da lágimas nos olhos, pela beleza das surpresas que me fazem! MARAVILHA, este amor virtual que se dá sem nada pedir em troca, só porque se gosta, assim...
Dizer Obrigada, tal como venho dizendo em iguais circunstâncias, é pouco, muito pouco; mas com este Obrigada vai todo o meu carinho, a minha admiração pela vossa doação,
aos outos (que neste caso sou eu)
e BEM-HAJAS Amiga!

Beijos imensos deste azul que me penetra.

Maria Mamede

Alexandre disse...

Venho de lá agora completamente fascinado - as surpresas na blogosfera não páram... e a Maria Mamede é das mais sublimes poetas que já vi... e ainda não vi tudo dela, de certeza!!!

Muitos beijinhos!!!

José Gomes disse...

E cá estou a agradecer a visita que fizeste lá ao meu cantinho.
Gostei do que li e fiquei todo babado pelo post à Maria Mamede, Sabes, ela é uma pessoa muito especial por quem eu tenho um carinho muito su-generis!!!
Um abraço,

Alexandre disse...

A.Filoxera, resposta que pus no meu blog ao teu comentário...

fico muito comovido com as tuas palavras, realmente há marcos na nossa vida e mesmo o desaparecimento Pavarotti - que se calhar nunca vimos e que às vezes era um mal-disposto - faz-nos parar e pensar que tudo é efémero, mesmo os ricos, os poderosos, os famosos não estão para além das fraquezas e dos designios: talvez estas mortes sirvam para nos dar um safanão nas nossas vidas e vivermos com mais intensidade - embarcarmos na tal viagem das sensações porque - ter sensações é preciso!!!

Muitos beijinhos!!! Obrigado pelo teu comentário, cheio de carinho e comoção!!!

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin