24 novembro 2008

100 diferenças sem diferenças

Este ano, o tema do projecto pedagógico da escola da minha filha é "100 Diferenças Sem Diferenças". Pretende-se:
1- Despertar a curiosidade para outras realidades
2- Partilhar conhecimentos sobre outras culturas
3- promover valores de respeito, tolerância, partilha e amizade
4- Desenvolver a imaginação e a criatividade
5- Divertir
Aos dois anos, questionamo-nos, como será possível desenvolver com as crianças um trabalho de educação para a cidadania? Aos educadores, quer sejam pais e familiares quer os educadores da escola, compete o papel de promover a vivência da criança numa sociedade heterogénea e "colorida" culturalmente, fomentando a interculturalidade.
É bom que os nossos meninos tomem consciência de si próprios e dos outros, encarando a diversidade com naturalidade e promovendo a harmonia.
Mais uma vez, enalteço o trabalho que a escola realiza em função do desenvolvimento cultural doas crianças, desde os mais pequeninos aos mais crescidos. Cada grupo tem as suas formas próprias de realizar os objectivos pedagógicos.
Na sala dos dois anos, as histórias e os trabalhos manuais têm especial importância. Ficariam espantados com o que eles fazem. Prometo deixar aqui, brevemente, alguns testemunhos dos trabalhos efectuados.
Por enquanto, deixo um poema, do poeta espanhol Esteve Alcolea:


HAVEMOS DE ENTENDER-NOS:

Não importa
se és menino ou menina
se és branca ou preto
se entandes bem a minha língua
e eu a tua.
Não importa onde nasceste,
não importa se temos
crenças diferentes.
Nada disso importa, porque vamos prestar
atenção às nossas diferenças.
Porque fomos chamados
a viver juntos e a entender-nos.
Dá-me a tua mão.
Havemos de entender-nos.

14 comentários:

Si disse...

Houvesse o mesmo empenho em formar adultos!
Houvesse destes a mesma vontade de entendimento!
Houvesse destes o mesmo sentimento de partilha universal!
Houvesse, enfim, quem olhasse, apenas, para os olhos dos outros...
Beijinhos

Patti disse...

Trabalho e empenho que deve ser enaltecido.

BlueVelvet disse...

Muito interessante este projecto e lindo o poema.
Beijinhos, amiga

Gi disse...

Corajoso e belo projecto; de pequeninos eles aprenderão que as diferenças não fazem diferença.

São disse...

Trabalhos manuais em Creche?!
Minha alma está parva e eu preocupada!!!
Feliz semana.

Anónimo disse...

É assim mesmo. Desde pequenino é importante este tipo de aprendizagem, somos todos iguais mesmo sendo todos diferentes.
Pena é que pelo mundo a fora há quem não pense assim.
O mundo seria um local bem mais agradável.
Vivam as diferenças!!!!

Maria disse...

Não tenho dúvidas de que havemos todos de nos entender, um dia, só não sei quando...
...e porque somos todos iguais, mas mesmo TODOS (e aqui não entra Orwell), saio com um sorriso, e deixo uma lágrima...

Beijinhos

Carminda Pinho disse...

Pelo que depreendo, a escola da tua filha, é uma escola de muita qualidade, e tu és uma mãe muito participativa, nem todas o serão, tenho a certeza.
O poema que nos deixas, é um poema de esperança, assim o entendo, e apesar dos tempos não correrem de feição...dou-te a minha mão, amiga.
E caminhemos na esperança dos dias...

Beijos

Oliver Pickwick disse...

Ótimo projeto, outras escolas deveriam adotá-lo.
Tudo pela diversidade.
Um beijo!

São disse...

Linda, neste Dia contra a Violência de Género te deixo votos de paz interior e harmonia com o Universo.

Bem hajas!

São disse...

Linda, estou desejando que ponhas aqui as fotos com os trabalhos manuais..
A resposta à tua questão, está lá no são.
E a minha discordância, como deves imaginar, não envolve nenhuma crítica aos pais. Que não têm conhecimentos técnicos, claro.
Mas quem escolheu educar como profissão tem o dever de saber o que está fazendo, pois tirou uma licenciatura.
Beijinhos.

1/4 de Fada disse...

Uma das coisas que eu observo é que a maioria dos nossos alunos vão perdendo a criatividade e o gosto pela aprendizagem e pelo trabalho à medida que vão ficando mais velhos. Muito mal vai o nosso sistema de ensino, para que isto aconteça... E esta não é uma constatação recente, noto isto já há bastante tempo, não estou a aproveitar para criticar a conjuntura que se vive no momento. É uma situação já antiga e que nos tem a nós professores como imensamente responsáveis.

Meg disse...

Filoxera,
Talvez esteja hoje muito pessimista, mas, mais do que esperança, neste poema pressinto uma utopia.
Quem sabe se não é um estado de espírito passageiro! É o que espero, amiga.

Um abraço

Vekiki disse...

Lindo! O projecto e o poema. Parabéns :-)

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin