07 outubro 2007

Provedor do Desempregado

Foi criada uma nova instituição para lidar com as inúmeras reclamações relativas à política do desemprego: o Provedor do Desempregado.
Esta política tem tamanhas injustiças e incongruências que eu bem pensava escrever aqui no blog um rol delas, mas nem sabia quando teria tempo para o fazer. E receava esquecer-me de alguma, pois são demasiadas.
Não sei com que eficiência poderemos contar, por parte desta figura. O certo é que eu e mais dezoito colegas metidos à força num curso de Gestão de Instituições Sociais (sob pena de nos retirarem o subsídio de desemprego), dos 24 aos 61 anos e com os mais diversos currículos académicos e profissionais, vamos meter mãos à obra e escrever-lhe uma carta.
Porque tivemos a sorte de conseguirmos criar um grupo coeso e um ambiente agradável, trabalharemos em conjunto na sistematização de uma lista de pontos que devem ser corrigidos ou abolidos, em nome do respeito pelas liberdades dos cidadãos.
Quando esta estiver concluida, publicá-la-ei, então com a certeza de estar completa.
Para alertar mais consciências, porque esta questão pode, de um momento para o outro, afectar muitos mais do que os que já estão desempregados.

5 comentários:

Blue Velvet disse...

Que maravilha! Ainda não me tinha lembrado dessa definição de Verão: "os sentidos em alerta laranja".
Obrigada pela visita e pela frase.

Victor Nogueira disse...

xiiiiiiiiiii
Ainda há pouco estive no post anterior e já puseste outro :-)
Olha, estive a ler os posts de Maio e o do 25 de Abril, deixando por lá comentários.
Bjo
VM

a.filoxera disse...

Blue Velvet: eu prória não me dei conta. Simplesmente saiu. Se calhar, ainda peço uma definição aos leitores.
Obrigada e um beijo.

SOBE E DESCE disse...

Mais uma figura criada para nada. Mais gente a ser paga com bons ordenados, mais lugares previamente destinados, mais sugestões para nada fazer!...
Enquanto o nosso País não investir na indústria e criar empresas que possam oferecer postos de trabalho é tudo treta.
Já me irrita tanta figura desnecessária. Só não vejo fábricas criadas quando importamos tudo.
O que é nosso já não existe e os nossos impostos vão para onde?...
Pelo aumento que este ano tiveram vou fazer conta e ver quanto ganho depois de 32 anos de trabalho.
Lá gastar dinheiro inutilmente sabem muito bem.
É só decoração para "turista" ver.
Estou irritada.
Bj

Anónimo disse...

Mais um tipo que necessitava de um poleiro.
Neste país cada vez a menos gente a querer trabalho, menos gente a querer emprego e cada vez mais gente a querer cargos.
Pena é que para ti e muitos como tu que desejam por em prática tudo o que aprenderam ao longo dos anos não exista lugar no mundo do trabalho!

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin