13 setembro 2008

Passeio cultural

(imagem retirada do site do Museu dos Coches)
O meu filho tem ficado comigo em casa enquanto não têm início as aulas na sua nova escola.
Na passada Terça-feira, aproveitando o facto de o Sol nos desafiar para uma brincadeira de esconde-esconde, resolvi fintá-lo e trocar a habitual manhã de praia por um dia de passeio e História.
Ao adquirir o bilhete de entrada no Museu dos Coches, o meu sorriso perguntou ao senhor que os vendia se, por acaso, não faziam um desconto a pessoas desempregadas. O sorriso dele respondeu-me perguntando se eu não teria dois euros. Guardei a nota de dez e dei-lhe a moeda de dois, pensando que, afinal, o preço aquém do que eu esperava.
Se, inicialmente, o Vasco atentava na história de cada coche, rapidamente ficou ávido de seguir, de forma a mais rapidamente chegar às galerias superiores.
Numa destas, deparámos com uma exposição dedicada ao rei D. Carlos e lembrei ao meu filho que já havia visto uma exposição sobre o mesmo monarca no Museu do Mar, esta última virada para a vertente de velejador do rei.
Nesta fase, estávamos sentados, seguindo o filme que era exibido; falámos também sobre o Museu da Marinha.
Um casal brasileiro, que chegara na véspera para a sua primeira visita a Portugal, encetou uma conversa comigo acerca deste quando nos ouviu. A troca de impressões foi desde a minha opinião sobre o Museu da Marinha e seus conteúdos até ao facto de o casal já ter viajado muito pela Europa e se ter deparado com um museu francês cujos coches eram meras réplicas, tocando ainda na percepção de que no Rio, quem visita o Pão de Açúcar e o Corcovado serem, essencialmente os estrangeiros e nacionais não cariocas.
Mais tarde, de volta da Agenda Cultural de Lisboa, o Vasco entusiasmou-se com as actividades pedagógicas para crianças que o museu desenvolve. E eu, observando os bilhetes, constatei que o funcionário do museu me vendera a tarifa de jovem, dos 15 aos 25 anos.
Combinei logo com o Vasco que voltaríamos ao museu e não só agradeceríamos a redução da minha idade, como nos informaríamos acerca daquelas actividades.
São no penúltimo domingo de cada mês, destinadas a serem programa familiar e gratuitas, dando ainda direito a uma recordação. E, bem organizado, ainda permite assistir, no final, ao render da guarda presidencial. Mas isso fica para outro post.
Após o mata-bicho, o miúdo brincou no parque dos relvados de Belém, enquanto a mãe dividia a atenção entre ele e a almejada leitura do livro corrente.
Quando ele deu por finda a brincadeira, desafiei-o a ir ver se o repuxo em frente ao Mosteiro dos Jerónimos estava ligado e, confirmando-se a negativa, "abri-lhe o apetite" para o Padrão dos Descobrimentos.
A caminho dos seis anos de idade, isto soou-lhe a aventura. Quis logo subir ao topo do monumento, numa clara rota de colisão com as vertigens da mãe.
Na bilheteira, a rapariga explicou-me que o muro em torno do miradouro tem 1,4 metros e que, se eu não pegasse no Vasco, ele não conseguiria desfrutar da vista.
-"Ok, vamos lá ver como me sairei desta. Depois conto-lhe"- respondi.
E foi a decisão acertada; ele apreciou, eu também, e não me senti incomodada, embora tivesse subido desafiando as tonturas e a aceleração cardíaca.
A vista é espantosamente bela e eu encarreguei-me de fazer uma bela reportagem, como de todo o dia, aliás.
No regresso, o meu filho exclamou: "Não te disse que lá em cima íamos encontrar um novo queijo?", numa alusão à história do Quem Mexeu no Meu Queijo.
E eu concordei: "Claro! Eu alcancei um novo queijo: enfrentei o temor de sentir vertigens".
Agora, parto para outro: conseguir, um dia destes, subir ao Cristo-Rei, em cuja base já estive duas vezes, sem me atrever a elevar-me até ao cocuruto.

15 comentários:

Patti disse...

Excelente dia o vosso. Fiz o mesmo com a minha filha esta 6ª feira por Lisboa e são realmente dos melhores momentos que passamos com eles.

Pena disse...

Linda e Preciosa Amiga:
Tanta ternura que emana de si. O seu filho deverá sentir-se orgulhoso do encanto da mãe.
OLhe, hoje tenho que lhe expressar algo que só lerá se quiser:
Doce Amiga de Encanto:
OBRIGADO pela entrega da sua beleza e pureza. Serão inesquecíveis.
Até um dia.
Adeus.
Beijinhos de maravilhar por tanto encanto.
Sempre a preservá-la em mim e no que sou.
Sensibilizado...!!!

pena

OBRIGADO pela atenão e dedicação que sempre com que sempre me agraciou.
Bem-Haja, terna amiga.
Até um dia...???????????

Alfazema Azul disse...

Um dia bem passado e que o teu filhote não irá esquecer. Assim o fizessem todas as mamãs. Quanto ao rei D. Carlos foi um dos mais cultos de Portugal ao contrário do que por vezes pensamos.

Beijinhos


Bom ano lectivo para o Vasco. E para a mamã que muito o irá ajudar.

Antonio saramago disse...

Que venham mais desses dias!

Alexandre disse...

Obrigado pela informação e pela motivação - há anos que ando para ir ao Museu dos Coches, é tão fácil, é tão pertinho, passo lá perto tantas vezes... é mesmo falta de organização da minha parte. Bigado!

Hum, será que também consigo tarifa de jovem, hehehe? É que ele deve ter-te vendido o bilhete mais barato porque deve ter pensado que não tens mais de 25 anos, a sério!!!

Muitos beijinhos e um bom domingo!!!

BlueVelvet disse...

Estás a dizer que o teu filho já sabe a história de " quem mexeu no meu queijo"???
Estou a modos que...espantada.
Belo passeio.
Beijinhos e bom domingo

FERNANDA & POEMAS disse...

Olá querida Amiga Filoxera, adorei ler o teu lindo passeio com o teu filhote!...
Votos de um Bom Domingo... Beijinhos de carinho,
Fernandinha

jo ra tone disse...

Filoxera,
Muito bem passado o dia, com aventura à mistura.É bom que continues e que percas esses "medos".
Ah... Quando for a esse museu, quero ver se não me esqueço de perguntar se não fazem descontos àqueles a quem o governo rouba.
:)
Beijinhos

Vieira Calado disse...

Sim. É verdade.
Morreu a Irene.
Bjs

f@ disse...

Belo passeio... e post tb...
agora é só perder o medo das alturas... eu ando nas nuvens beijinhos

elvira carvalho disse...

Uma boa maneira de ensinar o filhote. E um belo passeio.
Um abraço e uma boa semana.

tulipa disse...

Um dia bem passado com certeza.
E o filhote não irá esquecer.

Assim o fizessem todas as mamãs.
Infelizmente, a minha nora não tem destas ideias com os meus netos, fico triste.

Eu, quando me permitem, é que a levo aqui e ali...convido-te a ver a minha companheira no festival dos oceanos.

HOJE, a minha netinha começa a sua vida escolar, a sério!!
1º ano do Ensino Básico.

Um beijinho amigo.

amigona avó e a neta princesa disse...

Hoje é dia de Flávia mas passei para te deixar um abraço...

São disse...

Parabéns pelo texto e por teres conseguido ignorar as vertigens!Segundo a meta - teoria dos Ciclos de Vida, todas as idades (e situações) têm vantagens e desvatagens.
A tua actual situação de desemprego tem a vantagem de poderes dedicar mais tempo às tuas crianças e isso é óptimo.Podes ter a certeza de que este período vai fazer parte das sua melhores recordações de infância!
Ah! E não deixes de subir ao Cristo-Rei pois o panorama é soberbo!
Uma semana de alegria e paz em companhia dos teus.

Carla disse...

que bela viagem que me proporcionaste
boa semana para ti e para o teu filhote
beijos

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin