08 março 2008

Dia da Mulher


No Dia da Mulher não consegui publicar. Estava demasiado ocupada por uma das principais atribuições femininas: a de mãe.
De modo que só agora sai este texto, ideia esboçada no dia oito.
O Dia da Mulher traz-me à lembrança, logo de caras, algo relativamente recente: o facto de ter sido neste dia, em 2002, que soube que estava grávida, pela primeira vez.
Foi a alegria mais imensurável da minha vida até então. Um sonho tão antigo quanto a minha consciência.
Mais para trás, faz-me lembrar a minha primeira heroína no feminino, a Mafaldinha, do Quino. Influência do meu pai, que desde miúda me estimulou o espírito contestatário.
Depois, a Simone de Beauvoir, entre outras figuras reais, que não vou enumerar porque a ideia aqui é fazer um brainstorming acerca do que o dia me evoca.
E é das mulheres da minha família que me lembro, e das amigas, uma das quais apareceu de surpresa para ir almoçar fora comigo e com os meus filhos, enquanto o pai deles trabalhava. Lembro-me também de algumas professoras, certamente aliadas à causa da grande manifestação, e, obviamente, das mulheres desta blogsfera de comentários e de amizades.
A todas desejo que o futuro seja cada vez menos discriminatório, cada dia mais equilibrado nesta relação homem-mulher.
E deixo uma sugestão. Sugestão que é prática do meu dia-a-dia: eduquem as vossas filhas com critério igual ao que é usado na educação dos filhos. Não há tarefas deles nem delas; todos temos cabeça, tronco e membros, todos nascemos e morremos e espera-se que vivamos e trabalhemos, convivamos e eduquemos.
O equilíbrio começa por nós.

8 comentários:

Maria, Simplesmente disse...

Que para tudo as vozes se unam filoxera.
Agradeço-lhe a sua visita e quando lhe for possível mande notícias "boas".
Bjs
Maria

Outonodesconhecido disse...

Concordo. Gostei do teu post.
Boa semana

Carminda Pinho disse...

Adoro a Mafalda:)))
Concordo contigo e apesar de só ter filhos homens, sempre lhes fiz ver que, entre homem e mulher a única diferença... é a do género.

Beijos

Oliver Pickwick disse...

Assino em baixo, Filoxera!
Decerto nunca leu, mas acredito que a Simone de Beauvoir adoraria ler as historinhas da Mafalda.
Beijos!

Maria Jose disse...

Educar de igual forma é o que tenciono fazer. Felizmente que na nossa geração já se vai pensando assim... para acabar de vez com essa das tarefas só delas...
Um VIVA às mulheres que, realmente são incansáveis...

Sei que existes disse...

Ena, tantas lembranças!
Eu acho que esse dia é mesmo todos os dias... E todos os dias devemos olhar para ambos os sexos, como seres com os mesmo direitos e deveres.
Beijo grande

Blue Velvet disse...

Ora aqui está um post, que mesmo atrasado, está perfeitamente actual.
Muito bem dito, amiga.
Como sempre.
Beijinhos e veludinhos

Meg disse...

Filoxera,
Hoje venho apenas agradecer a visita que me fez num dia tão especial para mim.
Prometo-lhe que volto para ler o post pois se dissesse que o li estaria a mentir, mas o tempo hoje é tão escasso e tantos os blogues a visitar!

Um abraço e um até já

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin