25 abril 2007

A Liberdade

Abril é o mês da liberdade. O mês que sempre associarei ao meu pai. O mundo ganhou, num Abril distante, um dos seres humanos mais críticos que por cá passaram e perdeu, também neste mês, sessenta e nove anos depois, um auto-didacta coerente, determinado e carismático, cuja maior preocupação foi transmitir-me valores importantes.
Este blogue nasceu agora, no dia 25 de Abril, porque a data me inspira e me liga àquele que pretendo, de certa forma, homenagear hoje: o meu pai.
Ouço a "Grândola vila morena" e emociono-me. Neste momento, um turbilhão de recordações traz-mo de volta e ele sugere-me como hei-de dar ao meu filho uma ideia do que foi o 25 de Abril.
Desde a minha infância que a palvra "liberdade" tem, para mim, um sentido tão emotivo quanto político, já que o meu pai me incutiu a liberdade não só como forma de viver, mas também como um direito que se conquista como indivíduo e se defende enquanto povo que por ela teve de lutar.
Para os meus filhos, terá o valor que eles lhe conferirem ao longo das suas vidas. Mas cedo começarei a explicar-lhes, de forma simples e clara, o que é ser livre e que o dia de hoje celebra a liberdade. Sem entrar na esfera política, que só compreenderão quando a idade for um pouco mais madura. Mas associando-lhe um cravo vermelho.

6 comentários:

Anónimo disse...

Gostei do seu perfil é maravilhoso.
Vim dar uma olhadela e não resisti!...

Maria Jose disse...

Só tu, miúda, pra me fazeres rir!...Esse teu perfil...
Ainda estás aí p'ras curvas !...

pedro lessa disse...

olá prima,
apenas para te felicitar pelo blog e me associar à homenagem que prestas ao teu pai, meu tio preferido. Percebo a importância do 25/4 para ti, se bem que para mim não tão apaixonada, mas considero a data muito feliz para te iniciares nas blogagens. Um beijo para ti daqueles bons.

a.filoxera disse...

À Maria José: eu estou cá para as curvas. Mas será que elas estão cá para mim?

a.filoxera disse...

Ao Pedro: Sei que percebes. Sabes os equilíbrios em que fui criada, entre comunismo e social-democracia, ateísmo e catolicismo, no que se refere às minhas influências por parte do meu pai e da tua mãe, e entre reserva e convívio, comedimento e expressividade, no quee toca aos meus pais.
Beijo para ti tb.

Victor Nogueira disse...

Viva
Bom dia para começar. Aqueles foram dos dias mais felizes da minha vida. E pasmo como este homem de plástico que nos desgoverna em dois anos conseguiu deitar abaixo o que «nos» levou décadas a conquistar e quem neles vota não conseguiu preservar.
Bjo
VM

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin