30 janeiro 2010

Dei-me conta...

(foto do Zé Reis)

... de que não tenho, no meu círculo de conhecimentos e amizades, mais nenhuma mulher separada com filhos.
É que, neste momentos, apetecia-me um jantar entre mulheres. Para debater preocupações comuns, comentar interesses, partilhar experiências vividas num mundo que não se compadece do ritmo desenfreado em que andamos nesta trabalheira REUNIÕES-VIAGENS-RELATÓRIOS-MIL-E-UMA-TAREFAS-DOMÉSTICAS-FILHOS-HIPER-ENÉRGICOS-QUE-ADOECEM-E-NÃO-DEIXAM-DORMIR-NEM-FAZEM-AS-COISAS-QUE-LHES-DIZEMOS-O-ETERNO-ADIAR-DO-ESPAÇO-PARA-MIM-PRÓPRIA...

29 janeiro 2010

Hoje, és a minha lembrança permanente.
Torço para que acordes bem alegre, que te mimem logo pela amanhã, que os pesadelos fiquem lá para trás, que o ambiente seja de sorrisos.
Tens contigo a lembrança, tens os amigos que te admiram, te mandam algodão doce por telepatia para te adoçar o espírito.
Hoje, voo contigo, num voo rasante de verdes e azuis. O verde dos campos, ao azul daquele teu céu, do mar que é nosso.
Comemora comigo, rindo e disparatando, tomando um copo ou petiscando. Sou dadora de força, tu sabes...
Não guardes nada, grita quando tiveres de o fazer, chora quando estiver escuro aí dentro, dispara quando te ferem. Mas vive tão intensamente como comunicas, tão apaixonadamente como amas a tua filha, tão genuinamente como genuína é a tua amizade.
Estou aqui. E a minha vida é ainda mais rica porque fazes parte dela.
Parabéns, amiga!

24 janeiro 2010


Fui-me aproximando da tua seiva, sorvendo as tuas gotas.
A velocidade considerável, corri para os teus contornos. Relevos ondulados que me esperam, num acolhimento de braços abertos, que a saudade é mútua.
Movimentos harmoniosos em que nos movemos, tu e eu, num ritmo que se repete, uma a outra vez.
És paisagem na qual me detenho, porque a beleza prende. Aqui sinto-me bem. Inspiro e retenho a memória destes nossos momentos.
Queria ficar, fazer de ti ninho, não ter de seguir, queria saborear-te como se saboreia um bom vinho, um carinho infantil, um amante delicioso.
Quero tornar-te poema e não sei. Só sei apreciar-te, admirar-me de cada vez que a ti retorno, pôr os meus sentidos todos em alerta, em função do teu silêncio, do teu aroma, da tua perfeição.
Sei que és um pouco meu, e que cá dentro há marcas tuas. Sei que voltarei, cada dia mais apaixonada, cada vez mais tua admiradora. A ligação estreita-se e eu faço a viagem com entusiasmo crescente, a música a aumentar ainda mais a minha energia e o desejo de te reencontrar, sempre grandioso, sempre Alentejo.

22 janeiro 2010

Ausente

Pouco paro em casa e, em casa, não paro.
Não há como parar nesta minha vida.
Após tantas alterações radicais nos últimos tempos, chegou a época da ressaca. Se já começava a custar-me obedecer ao despertador, agora piorou...
Domingo para Segunda: acordei duas vezes durante a noite. Mafalda com choraminguice indecifrável.
De Segunda para Terça: mais duas vezes me levantei de noite. Tosse.
Terça para Quarta: chorou às 2 da manhã. Xixi na cama. Peguei nela, para a banheira, pijama lavado e deitei-a na minha cama.
Entretanto, fiz a dela de lavado e pus a roupa na máquina a lavar. Ela dormitava nos curtos intervalos que a tosse lhe concedia. Depois encostava-se a mim, parecia querer absorver-me, vinha para a minha almofada, a seguir já queria dormir com a bochechinha em cima da minha cara, agarrada ao meu pescoço.
Lamúrias constantes. Chegou a vez de querer molhar a orelha. "Dói", dizia.
Adormeci pouco após as 5. Quando o despertador tocou, soou a tortura.
Otite.
E eu com umas dores no corpo como se tivesse sido atropelada por um camião.
Sabem que mais? Consulta do Vasco; todos os dias muitas horas de pé, parada; ida a Portimão e Beja e regresso no mesmo dia; morte do pai de um amigo (e eu nem consegui estar com ele); procura de aconselhamento médico para as minhas dores de estômago; reunião com a professora do Vasco; preparação de malas dos miúdos para o fim-de-semana; comunicação com a empresa todas as noites para troca de informações e e-mails; e muitos, muitos ficheiros como tpc para o fim-de-semana. Mas é o trabalho inerente a uma nova aposta profissional bastante exigente. O início obriga a esforço extra, para me organizar. No meio da algarzarra das crianças, da televisão, dos entusiasmos e brigas.
Não estranhem a minha falta de escrita ou de comentários. Primeiro a exaustão, depois o prazer (ou será que não é assim???)...
Vou fazer com que sobre algum tempo, e tentar que seja apenas de pura descontracção.
Leitura, descanso, dois dedos de conversa, tudo intercalado com os meus tpc...

20 janeiro 2010

Estou exausta

Muito tempo de pé, sempre em alta velocidade em tudo no dia-a-dia, ir e vir a Portimão e Faro no mesmo dia, tosse infantil numas noites, seguida de xixi na cama e otite noutra...
Vou dormir!

17 janeiro 2010

:-)

Ultimamente tenho tido umas conversas interessantes e, até, engraçadas. E ouço umas coisas que me deixam orgulhosa. Quando vêm de diferentes pessoas, em dias consecutivos, fazem-me mesmo acreditar.

Reforçam-me convicções, acrescentam-me força.
Já estou como diz a Vera, sinto-me especial.

13 janeiro 2010

Estou...

... cansada. Muito.
Sem vida própria. Sou colaboradora duma empresa, mãe de dois reguilas
e sem "espaço" para ser eu mesma.
Alguém pode carregar no "pause" nas horas de sono
(ou quando eu tiver um raro momento de convívio), sff?
E, já agora, no "stop" no tempo de Inverno?
Agradeço :-)

(não consigo manter o ritmo na blogosfera; lerei os v/ blogues sempre que possível)

11 janeiro 2010

Um dia destes

tenho de me obrigar a...

..DESAPARECER.

Sair sem destino, na companhia de boa música, aportar num qualquer hotel, perdido no meu improviso, e virar costas à vida de todos os dias.

Não dar cavaco a ninguém e não me aturar sequer a mim, com a mania dos afazeres. Muitos, imensos. Os incontornavelmente necessários e os que eu tenho tendência a arrastar como lastro na minha maneira de ser (horrível; não aconselho a ninguém :-)   ).
Quando será que ganho coragem e perco a razão do dinheiro?

(já agora, aceitam-se sugestões. Como vêem, estou necessitada de uma paragem radical- já nem escrevo nada há tempos!...)

09 janeiro 2010

Animal de sangue quente?

Não, já não sou.
Os meus pés gelam com estas temperaturas. E as mãos estão frequentemente mais frias que a água que sai das torneiras...

05 janeiro 2010

Bué da fixe, essa "tua" empresa!

Foi assim que o meu filho reagiu quando soube que nesta semana de reuniões da companhia, além dos tradicionais jantares, iríamos pôr em prática o que ensaiámos no último encontro com jantar: uma coreografia ao som de I Gotta Feeling, dos Black Eyed Peas.
Vai haver um concurso de Ídolos e nós vamos tentar dançar todos certinhos e cheios de garra.
Torçam pela minha unidade!

(acima: parte de uma foto referente a uma dramatização que fizemos na última reunião. De improviso, representámos e filmámos uma história com um enredo de amor misterioso. Com direito a total caracterização e muita boa disposição!)

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin