29 fevereiro 2008

Novo Prémio


Quando decidi criar este blogue, nada sabia sobre blogues.Não imaginava o que me esperava.O Escrito a Quente seria uma forma de comunicação, para dar vazão a certos ímpetos literários e a alguns desabafos e críticas. Uma forma de reequilíbrio para quando a mente necessita de um escape.Não podia fazer ideia de que, passados alguns meses, além do meu blogue, passasse a "depender" da leitura de alguns outros. Porque na blogosfera há quem escreva lindamente, quem nos presenteie com belíssimas fotos, quem tenha uma imaginação deslumbrante, quem apresente layout's de pasmar.É um espaço de inspiração e de amizade. De presença. Quando a ausência de algum amigo virtual se prolonga, logo nos preocupamos em questionar se estará tudo bem. A amizade, virtual ou tornada mais "real", acaba por acontecer, que o ser humano ainda tem isso de bom. De duas amigas encontradas na blogosfera recebi um novo prémio, o que acima exibo.Nunca pensei que fosse receber prémios quando iniciei a actividade como bloguista; como referi, a ideia era comunicar e dar vazão a emoções. Se se tratasse de um prémio de amizade, seria fácil escolher nomeados a quem o transmitir.Tratando-se de uma distinção de qualidade, não me sinto em condições de enumerar agora outros blogues; tantos o merecem! muitos já os receberam, inclusivé. E não são assim tantos os que visito numa base regular. De resto, o meu forte, como diz o outro, não é fazer escolhas dessas; se escrevo algo bem, é por sentimento, não por missão de encadeamento de correntes de prémios. Considero que os blogues onde tenho deixado comentários são merecedores de um prémio como este, pelo que peço que não levem a mal subverter a lógica com que estes prémios foram instituidos, mas não vou enumerar autores ou blogues. Considere-se convocado para o desafio quem eu tiver comentado.

26 fevereiro 2008

Doze palavras


A Sophiamar, do blogue A Ver o Mar, desafia-me novamente.
Desta vez, a ideia é escrever um post mencionando doze palavras que tenham para nós um significado especial.
Primeiro, não posso deixar de referir que sou avessa a limitar seja o que for em x palavras ou em y opções. Considero a vida e o mundo demasiado ricos para serem "condensados" em uma ou outra escolha. No entanto, darei seguimento ao desafio, para não quebrar a corrente.
Assim, passo a enumerar as doze palavras, por ordem alfabética pois algum critério teria de seguir:
AMOR- amor no sentido mais lato: o amor filial, o amor materno e parental, o amor entre mulher e homem, o amor pelos amigos e pela humanidade. É a razão de existirmos.
ENTUSIASMO- chamem-me ansiosa ou apaixonada; chamem-me redutora ou utópica. Continuo a considerar que nada é melhor que o entusiasmo, seja no trabalho, no amor, nos mais diversos objectivos. Nada se compara ao entusiasmo. Com ele, sou capaz de tudo. Por isso, quando me entusiasmo, posso parecer exagerada, mas dedico-me de corpo e alma.
FILHOS- tenho dois. Amores a toda a prova. Maiores desafaios da vida. Professores mais qualificados, filtro mais rigorosos dos nossos comportamentos. São os filhos. Os meus são lindos. E apaixonantes.
FOTOGRAFIA- é um vício, alimentado quase todos os dias. Tiro muitas, coloco em molduras, mostro aos amigos. E adoro saborear boas imagens proporcionadas por outras visões.
LIBERDADE- tudo o que é escasso é precioso. E a liberdade é um bem que escasseia cada vez mais. Essencial, merece todos os nossos esforços de preservação, tanto no aspecto singular como no colectivo.
LIVROS- Paixão. Literatura, leitura, banda desenhada, fotografia, viagens... Nunca são demais. Saboreio-os com os olhos e com o tacto. Cheiro-os enquanto os toco, num deslumbre sensorial tão arrebatador quanto as lições e as vigens mentais que me proporcionam.
MAR- azul. Imensidão. Liberdade. Rebeldia. Força. Sempre vivi junto a ele e não me imagino a distanciar-me desta maravilha. É onde o meu pai agora se encontra, em viagens infinitas, tão apreciadas pela sua mentalidade aberta.
MÚSICA- alegra o mais cinzento dos dias. Faz-me conduzir com uma alegria que levará, certamente, os outros condutores a julgar que acabei de conseguir o melhor dos empregos ou receber o primeiro beijo da pessoa amada. Pode também trazer consigo a nostalgia. Tem tanta autoridade para nos alegrar como para nos amargurar.
NATUREZA- A maior beleza do Mundo. A força mais poderosa. Nada somos à beira dela e pagaremos bem caros os atentados contra ela.
PAZ- O meu objectivo de vida principal. Para mim e para o Mundo.
SENTIDOS- que seria de nós sem cores nem paisagens, sem os cheiros da nossa infância ou dos nossos amores, sem o som da música e os que nos parecem música, sem o tacto com que abraçamos os que nos são queridos, sem podermos saborear este chocolate, aquela comidinha, a bebida quente ao serão?
SOL- quando me acompanha, sinto-me enérgica e bem humorada; quando se esconde, alonga-me os dias, conseguindo, às vezes, roubar-me o brilho do olhar.

A ideia é lançar este desafio a outros doze blogues.
No entanto, como muitos blogues terão já respondido ou sido desafiados por outros bloguistas, limito-me a passar a ideia a quem quiser agarrá-la e dar-lhe continuidade, até porque nem sempre as vidas acompanham o ritmo das solicitações blogueiras.

25 fevereiro 2008

Momentos únicos

No passo apressado da lufa-lufa matutina, vislumbrou, à distância, um vulto. Parecia o Afonso. Não, não devia ser. Há tantos anos sem se verem, seria coinciência improvável...
Prosseguiu, evitando olhar na sua direcção por mais uns passos, enquanto vasculhava memória e imaginação à procura das palavras que lhe diria se fosse, realmente, o Afonso.
Até que voltou a erguer o olhar no sentido do vulto. Um olhar bem dirigido ao esperado reencontro.
Era ele.
- Afonso!
- Vera! Que surpresa!
- Que é feito de ti, miúda?
Miúda é como quem diz, já não se viam há tantos anos!
A conversa fluiu, superficial como qualquer conversa apressada num contexto inesperado.
Trocaram números de telemóvel, prometeram ligar.
E agora, sentada à secretária, Vera voltava à lembrança recorrente da conversa tida alguns quinze anos antes. Aquela frase que ele largara e ela, por auto-limitações várias, não apanhara, embora quisesse tê-lo feito: "não havia de estar bem nesse colo, o gato... eu é que havia de gostar de estar aí...".
Uma insinuação deixada cair. A pesar no pensamento até ao infinitésimo dia.

21 fevereiro 2008

Para desanuviar

video

deixo-vos um curto filme que me foi enviado por email.

Como os amigos da blogosfera andam com baixo astral, pode ser que ajude a soltar umas risadas.

E é uma ternura...

20 fevereiro 2008

O Cubo Mágico


Gosto de me lembrar de coisas diferentes com que entreter o meu filho; às vezes, recorro às que a memória conserva, de entre os passatempos com que eu e os meus amigos nos entretínhamos "no nosso tempo", que é como quem diz, na nossa infância.
Ontém pegámos no Cubo de Rubik e consegui fazer uma face completa, como sempre consigo, mas desta vez com todos os lados adjacentes já alinhados na primeira "franja".
Como a minha mente nunca me permitiu avançar muito neste quebra-cabeças, lembrei-me de fotografar a façanha e aproveito para vos recordar este maravilhoso passatempo já caído em desuso, infelizmente.

14 fevereiro 2008

Hoje, regressa à voluptuosidade dos primeiros tempos.
Deixa-te conduzir entre suspiros beijados, abraços quentes, sussurros cada vez mais fortes.
Faz do zero o ponto de partida e redescobre todas as zonas erógenas.
Ocupa as mão e dá que fazer à língua. Não poupes o coração.
Deita-te a quente, rebola a ferver e não regateies palavras ternas. Ou provocadoras. Tanto faz.
Faz amor, ou sexo, ou ternura inigualável, mas faz.
Tudo o que o corpo te pedir. Dá, recebe, provoca, saboreia.
Inspira o aroma do outro corpo, mergulha nele e nos odores que se libertam quando os amantes se entregam.
Começa tu ou jogo, ou entra nele, a ordem dos factores é arbitrária. Mas goza a quente este dia dos namorados. De que é que estás à espera?

Contra a Pedofilia

Hoje é dia de blogagem colectiva contra a pedofilia na blogosfera.
Tema que logo me assusta e me remete para a eterna questão de defender que as crianças devem ser consideradas, cada vez mais, objecto da nosa responsabilidade colectiva. Não apenas dos pais ou família, dos educadores ou dos amigos, dos vizinhos e conhecidos. Mas de toda a sociedade.
À falta de maior disponibilidade para me dedicar à elaboração de um texto apropriado a um tema tão importante e da maior actualidade, aconselho quem possa a ir ao

http://6feira.blogspot.com

e retirar alguns ensinamentos fundamentais sobre esta questão.
A Elvira fez um excelente trabalho de pesquisa e enumera, de forma quase exaustiva mas não enfadonha, os elementos fundamentais sobre o problema da pedofilia.

12 fevereiro 2008

Resposta ao Desafio

A Carminda, do Fórum Cidadania, lançou-me mais um desafio: enumerar seis aspectos que me caracterizem.
Volto a frisar que há temas bem mais interessantes que a minha pessoa, mas não quero defraudá-la, de modo que tentarei lembrar-me de seis pontos a referir, que não sejam redundantes em relação aos que já mencionei a cinco de Dezembro.

1- Lamento nunca ter conhecido algum avô ou avó. Por isso, fiquei feliz quando o meu filho nasceu pôde ter um avô por algum tempo e ainda continuar com duas avós. Estimulo a convivência frequente dos meus filhos com as avós, tias-avós e tios-avôs.

2- Tenho um irmão mas, como sempre vivemos longe e a diferença de idades é grande, fui crescendo praticamente como filha única. Achei isso ainda pior do que nunca ter conhecido avós, pelo que sempre me impus como dever moral não ter um único filho. Tenho dois e acho que assim está bem.

3- Pelas razões anteriores, prezo os valores familiares como tesouros merecedores de grande estima. Adoro ir ao Porto e sentir que a família é grande.

4- Sou também muito ligada aos amigos. Telefono, combino, mando sms's e emails, fotografias, faço festas, mando cartões, peço opiniões, troco pontos de vista.

5- A fotografia faz parte da minha rotina de vida desde sempre e todos os dias; adoro registar amores, pessoas, paisagens, animais, ambientes...

6- Não sou crente. Nem em religiões nem em livros de auto-ajuda, nem..., nem..., nem...

10 fevereiro 2008

Ei-lo novamente na tv

O meu filho voltou a aparecer na televisão.
Numa publicidade a um supermercado, ele corre num pomar e cai-lhe uma laranja na cabeça.
O filme publicitário tem agora um novo arranjo, pois em Maio de 2007 já aparecera numa outra versão.
Aos quatro anos, fez o seu primeiro trabalho.
Rodeado duma equipa de produção com cerca de vinte pessoas, gravou e voltou a gravar diversos takes deste spot, sempre bem-disposto e com a energia que é habitual nele.
Foi um "profissionalão". Parecia que estava hbituadíssimo a gravar todos os dias.

Gostaria de poder dizer o mesmo acerca da agência de figuração através da qual fez o casting, a Capital. Não só não pagaram a três meses o cachet do Vasco, nem a quatro, como foram adiando com sucessivas desculpas de não pagador.
Até hoje. Ainda não recebemos um cêntimo do dinheiro que lhe é devido.
Já diversas datas foram agendadas e nunca cumpridas. Desculpas e mais desculpas.
Da minha parte, não deixarão de sentir pressão.
Pode ser que um dia destes possa dizer-vos que, finalmente, ao fim de quase um ano, pagam o que é devido...

08 fevereiro 2008

Criei um novo blogue

Amigos:
Criei um blogue para divulgar os trabalhos da minha mãe. Apesar da sua relutância, achei interessante partilhar as suas obras, que faz como hobbie e para vender.
Desde sempre a minha mãe se delicia a fazer trabalhos manuais. Enquanto cresci, vi-a sempre de volta de um crochet ou de um peça de malha.
Na cozinha, também consagrava horas e horas à confecção dos mais deliciosos doces e das festas de aniversário mais belamente adoçadas. Pela noite noite dentro, criava prados com coelhinhos, relógios com a hora da festa, Mickeys ou palácios espantosos, com a naturalidade de quem nasceu para a pastelaria.
Nos últimos anos, a cozinha ficou desfalcada porque a minha mãe teve de cuidar do meu pai enquanto ele foi sendo consumido pela doença.
Porém, depois de ele nos deixar definitivamente, ela passou a dedicar-se às artes manuais, criando caixas, pratos, jarras e outros objectos que considero lindos.
Deixo-vos o link para este blogue, que passará a constar também da barra lateral do Escrito a Quente:

http://compratosebolos.blogspot.com/

Espero que apreciem tanto como eu os seus trabalhos e, se acharem que estes vos merecem algum comentário, por favor, escrevam-no. Ela apreciará saber como são encaradas as suas criações.

06 fevereiro 2008

Nasceu a Daniela


A Daniela entrou nas nossas vidas no Domingo.
Apesar de ser já a quarta filha, demorou a nascer. E muito.
Foram dias angustiantes, os últimos que passou na barriguinha.
Não imagina o quanto o seu nascimento deixou os avós, tios, primos e irmãos suspensos. E, acima de todos, a mãe. A mãe. Não o pai.
Porque a Daniela nasce sem pai.
Baleado na noite do Porto.
Tinha ela três meses de concepção.
Um tiro. Uma mulher sozinha com três filhos. E uma menina que crescia dentro da mãe.
Uma gestação de meses e meses passados no cemitério. Porque a Patrícia sentia que levando para lá os meninos, tardes inteirinhas, ficava "perto dele".
Sofre contida toda a dor de uma mulher cujos primeiros filhos têm o pai detido e os segundos filhos nem sequer têm pai.
Hoje, a Patrícia não está sozinha a cuidar dos filhos porque as famílias numerosas têm esta vantagem de serem famílias onde a entreajuda se pratica com naturalidade. A união não falha; está presente nos momentos de festa e nos de tristeza.
Assim, o nascimento da Daniela pode ter sido um misto de alegria e tristeza para a mãe, minha sobrinha, pois é natural o parto vir acompanhado de lágrimas e risos em qualquer caso. Mas, ao longo da sua vida, a Daniela vai sentir que o amor da mãe, dos avós, dos três irmãos, dos sete tios maternos e uma tia paterna, dos muitos tios-avós, como eu, a acompanhará com uma ternura especial. Amor que suplanta a condição de desempregada da mãe, dos avós e de grande parte dos tios. Amor que une todos em torno de uma criança que queremos saudável, risonha e com uma auto-estima tão grande como a determinação, ou seja, enorme.
Quem tiver interesse em saber deste exemplo de coragem, que se chama Patrícia, pode ler o post que publiquei pelo seu aniversário, cujo link é:
http://escritoaquente.blogspot.com/2007/09/31-de-agosto-aniversrio-da-patrcia.html

A Patrícia tem trinta anos. Quatro filhos, uma ainda recém-nascida.
E é viúva. E desempregada. E linda. E sofrida.
E A SUA VIDA É UM EXEMPLO DE FORÇA QUE VOS FARÁ REFLECTIR.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin